Covid-19: Palhoça em risco gravíssimo

De acordo com o Governo do Estado, 79 palhocenses já perderam a vida para a Covid-19

2ff9f2e3bea5a735a788d23766ab9c21.png Foto: DIVULGAÇÃO

Santa Catarina amanheceu, nesta quarta-feira (25), com 13 das 16 regiões enquadradas em risco gravíssimo para a Covid-19 (incluindo a Grande Florianópolis), segundo a matriz de classificação do governo estadual. Esse é o pior cenário, no estado, desde o início da pandemia. 

Até o começo da semana, Palhoça estava inserida na escala de risco grave. Agora, o município volta para a cor vermelha, que representa o estágio mais grave no mapa de risco. Na região, a transmissibilidade, que é a variação no número de confirmação e casos ativos, também preocupa: está em grau quatro, o nível máximo da tabela.

Segundo boletim divulgado pelo governo de Santa Catarina nesta quarta-feira (25), Palhoça tem 726 casos ativos do novo coronavírus. Ao todo, são 11.348 casos confirmados e 79 óbitos em todo o município, desde o início da pandemia. Porém, os números podem ser ainda maiores, já que a Secretaria Municipal de Saúde contabiliza 80 óbitos e informa que está monitorando 1.366 pacientes.
O boletim atualizado ainda conformou 31 novas mortes no estado, somando 3.561 óbitos em Santa Catarina. Houve um acréscimo de 1.040 casos em monitoramento somente nesta quarta-feira (25).

Os números refletem na taxa de ocupação de leitos do SUS, que chegou a 84,4% em todo o território estadual. Se for considerar só a Grande Florianópolis, o número é sutilmente menor, com 78,3% dos espaços em uso.


Aumento expressivo
Comparando com os dados da última semana, o número de regiões no mais alto nível da escala aumentou em 333%. Na atualização anterior, apenas três regiões estavam no grau gravíssimo: Xanxerê, Alto Uruguai e Laguna. 
Toda semana, o mapa de classificação de risco é divulgado pelo governo de Santa Catarina. Para o cálculo dos níveis de riscos, é considerada uma combinação de fatores, como transmissibilidade, disponibilidade de leitos e aumento de casos em cada região. 


O que muda

Nas regiões que apresentam risco gravíssimo ou grave, continuam proibidas as realizações de eventos como congressos, concursos públicos, museus, feiras e exposições.

Parques aquáticos estão proibidos de funcionar; competições esportivas coletivas, ou em que há contato direto com outras pessoas, também estão suspensas no município.

Nas regiões de risco gravíssimo, o número de usuários nas academias deve ser 30% da capacidade, bem como nos templos religiosos e em hotéis.

Já as provas de roupas estão autorizadas em todas as regiões do estado, de acordo com medida divulgada no Diário Oficial, no dia 18 de novembro. 

 

Quer participar do grupo de WhatsApp do Palhocense?

Clique no link de acesso!



Galeria de fotos: 2 fotos
Créditos: DIVULGAÇÃO DIVULGAÇÃO
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg