Instituições promovem ações beneficentes

Um dos exemplos é o Projeto Dorcas. Localizada no Brejaru, a organização não-governamental (ONG) de viés cristão tem como objetivo dar assistência a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social

56d54a95fc863a7365d4825d464ac6db.jpeg Foto: DIVULGAÇÃO

Por: Willian Schutz*

A Páscoa já é neste domingo (4). E a solidariedade promete adoçar a data para muitas crianças de Palhoça. Isso porque há pessoas e instituições que vêm se mobilizando para beneficiar quem precisa. 

Um dos exemplos é o Projeto Dorcas. Localizada no Brejaru, a organização não-governamental (ONG) de viés cristão tem como objetivo dar assistência a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. 

Segundo Cintia Amaral, uma das voluntárias do Dorcas, neste ano, o projeto segue trabalhando a Páscoa cristã, como em todos os anos. “Geralmente, recebemos doações de chocolates. Este ano, apenas um grupo nos procurou, mas já foi o suficiente para comprarmos caixinhas de chocolate para as crianças”, conta. 

Contudo, para marcar a celebração, além de decoração, as voluntárias do Dorcas fizeram um painel e uma programação de contação de histórias foi agendada de segunda-feira (29) até quinta (1).


Grupo Amigos Solidários
Turma marcante nas ações beneficentes de Palhoça, o grupo Amigos Solidários, liderado por Eduardo Lemos, no Madri, mais uma vez se mobilizou. Porém, segundo Eduardo, em 2021, o movimento também foi menor. “Com a pandemia, está mais difícil de conseguir arrecadar as coisas. Tentamos conseguir algumas cestas básicas, mas está complicado”, relata. 


Centro Espírita Caminho do Amor
Já no Frei Damião, há um projeto do Centro Espírita Caminho do Amor, que almeja doar 400 cestinhas de guloseimas para as crianças carentes da comunidade. “Faremos a entrega para as crianças no dia 6, às 18h. No mesmo dia, nós distribuiremos sopa para mais de 300 pessoas, o que nós já costumamos fazer”, explica Andreia, uma das participantes do projeto do centro espírita.

A fala de um dos doadores sintetiza a situação geral que essas ações tentam amenizar: “Muitas pessoas estão lutando por alimentos e as crianças não teriam uma Páscoa”.

Na realidade atual, adoçar a Páscoa de quem precisa é uma das expectativas de palhocenses que aderem ao voluntariado. 

* Sob a supervisão de Alexandre Bonfim

 

Quer participar do grupo de WhatsApp do Palhocense?

Clique no link de acesso!



Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg