Moradores fazem manifestação na Guarda do Embaú

Depois de sucessivas ressacas, comunidade clamou por manutenções na orla do Rio da Madre

09c008223e54bc59e1a4636bd275d74c.jpeg Foto: PLÍNIO BORDIN/DIVULGAÇÃO

Por: Sofia Mayer*

 

Cerca de 100 manifestantes se encontraram, na tarde desta quinta-feira (28), na Guarda do Embaú, para cobrar agilidade da Prefeitura na revitalização da orla do Rio da Madre. Embora o cenário da região esteja sofrendo alterações há cerca de um ano, a situação se intensificou no dia 23 de abril, quando praticamente toda a faixa de areia foi tomada pelo mar, fazendo com que moradores das margens, sobretudo idosos, passassem a ter dificuldades para sair de casa. A manifestação se concentrou na beira do mar, e contou com a presença da Polícia Militar, que fez guarnição aos manifestantes a partir de uma viatura.

A mobilização aconteceu das 15h às 16h, na beira do Rio da Madre. Segundo a presidente da Associação Comunitária da Guarda do Embaú, Telma Vieira Correia, o protesto teve uma intensa participação dos moradores, que “lutaram por algo em comum”. De acordo com ela, durante todo o encontro, uma guarnição estava presente para cuidar da segurança dos envolvidos: “Tivemos o apoio da Polícia Militar, sempre solícita. Precisamos agradecer”.

Segundo os manifestantes, o vereador Jean Henrique Dias Carneiro (Jean Negão, Patriota) esteve presente no encontro e deve acompanhar a comunidade no gabinete de vereadores na próxima semana. 

Embora a Defesa Civil já tenha feito um laudo do local, os militantes cobraram agilidade no processo, já que temem as novas ressacas que estão por vir. Segundo relatos, canos de abastecimento de água chegaram a estourar na última terça-feira (19), deixando os residentes sem água. Essa foi a segunda segunda vez, desde o início dos casos sucessivos de maré alta, que a situação ocorreu. Com a força constante da água, outra preocupação é a de que postes e muros também acabem ruindo, comprometendo a segurança dos moradores e a energia elétrica para os afazeres cotidianos.

De acordo com a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Saneamento do município, já estão sendo elaborados projetos que buscam a recuperação da orla atingida pela ressaca, e que pleiteia, junto ao Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), as licenças ambientais necessárias para os procedimentos.


* Sob a supervisão de Luciano Smanioto


Quer participar do grupo do Palhocense no WhatsApp?
Clique no link de acesso!
 



Galeria de fotos: 6 fotos
Créditos: PLÍNIO BORDIN/DIVULGAÇÃO PLÍNIO BORDIN/DIVULGAÇÃO PLÍNIO BORDIN/DIVULGAÇÃO PLÍNIO BORDIN/DIVULGAÇÃO PLÍNIO BORDIN/DIVULGAÇÃO PLÍNIO BORDIN/DIVULGAÇÃO
Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg