Bala pede mais efetivo para Palhoça

Vereador teve uma reunião com o deputado Nazareno Martins

6d7e0dd35fe305859de292b6b2aa8089.jpg Foto: DIVULGAÇÃO

O vereador João Carlos Amândio (Bala, PSD) esteve reunido esta semana com o deputado estadual Nazareno Martins (PSB), para entregar uma indicação de sua autoria, aprovada pela Câmara, para que interceda junto ao governo do estado e ao comando da Polícia Militar, visando melhorar a estrutura das polícias Militar e Civil de Palhoça, principalmente na questão do trabalho ostensivo. O deputado prometeu agilizar um encontro com os responsáveis para tratar do assunto.

O vereador justificou sua preocupação dizendo que Palhoça é uma das cidades que mais crescem no estado e que em extensão territorial é a segunda da Grande Florianópolis, possuindo uma área de 394 quilômetros quadrados, ficando atrás apenas de Florianópolis, que possui 424 quilômetros quadrados. “Nosso município possui uma população de quase 200 mil habitantes e cresceu muito nos últimos anos. É inadmissível o tratamento que Palhoça recebe na área de segurança pública, que fica muito a desejar se comparado a outros municípios da região”, enfatiza

Bala disse ainda que há menos de 15 anos o município estava com uma população de menos de 100 mil habitantes, sendo que naquela época possuía 203 policiais militares e civis efetivos, um número maior do que se tem hoje. Bala avalia que boa parte dos casos policiais ocorrem nas comunidades com menor infraestrutura, o que danifica ainda mais as poucas viaturas. “Esse é um dos fatores da falta de viaturas para atender as ocorrências em nosso município. Palhoça possui muitas viaturas baixadas, não se sabe o número exato, porém existem poucas em serviço”, reflete. 

Bala fez ainda uma comparação em termos de estrutura entre os municípios de Palhoça e São José. Segundo ele, São José, que tem apenas um terço do tamanho de Palhoça em termos territoriais, está muito melhor equipada na área de segurança, com mais efetivo policial, Bope, Guarda Municipal, um sistema de mais de 210 câmeras de monitoramento, três delegacias distritais, além da Delegacia da Mulher e da DIC. “Isso faz com que haja uma migração dos criminosos para Palhoça, principalmente através da Ponte de Imaruim, que possui mais de 40 mil habitantes, além de possuir o maior comércio e a maior rede de ensino do município. Hoje o bairro possui um posto policial gerenciado por um policial sem viatura”, revela. 

Bala criticou ainda a política de segurança do governo federal, que, segundo ele, investe somente nas capitais, deixando à margem as demais cidades. “Essa é uma das causas do aumento da criminalidade em muitas cidades vizinhas de Florianópolis, pois na medida em que aperta para a criminalidade na capital, os marginais acabam se deslocando para outros municípios da região que possuem menor estrutura na área de segurança”, adverte. 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif