Barsemlona, versão feminina

Palhoça tem mais um time feminino de futebol: na quarta-feira (21), a versão da mulherada do tradicional time Barsemlona fez seu primeiro jogo

1003e9ba9af2a4281782cee5fb553e8f.jpeg Foto: NORBERTO MACHADO

Palhoça tem mais um time feminino de futebol: na quarta-feira (21), a versão da mulherada do tradicional time Barsemlona fez seu primeiro jogo.
O Barsemlona foi fundado em novembro de 2015 por um grupo de amigos, para jogar futebol de campo uma vez na semana. A princípio, os jogos eram no Noroeste (Passa Vinte), e alguns meses depois, passaram para o Cruzeiro do Sul (Guarda do Cubatão), onde seguem mandando seus jogos até hoje. A equipe disputa amistosos semanalmente e também já participou de alguns campeonatos, como a Copa Amizade 2018 e 2019, e foi campeão da Copa Palhoça 2017.
A ideia do Fut7 feminino veio por parte das esposas dos diretores Lucas Jorge e Leonardo Martins, para abrir espaço para meninas que queiram praticar e aprender o esporte. “No momento, pretendemos só nos divertir e aprender juntas. Quem sabe, num futuro distante, alguma competição. Mas, a princípio, somente a diversão e o aprendizado”, diz a estudante de Direito Maria Eliza da Silva Campos, que mora na Praia de Fora e foi uma das idealizadoras da equipe, junto com Ianca Alflen, estudante que mora no Aririú. “Meu marido (Leonardo) e o marido da Maria (Lucas) jogam juntos há um tempo e nós sempre vamos assistir aos jogos. E como gostamos muito de futebol, veio a ideia de montar um time feminino também, onde a intenção era convidar as esposas dos jogadores do Barsemlona para fazer parte do time e assim jogarmos entre nós e nos divertirmos. Então, montamos um grupo e começamos a divulgar através do Instagram que estávamos procurando meninas para fazer parte do time. A quantidade de meninas que veio nos procurar foi tão grande que foi preciso fazer uma lista de espera. Hoje, temos 21 meninas no grupo e mais a lista de espera”, comenta Ianca.
O jogo de estreia contou com 21 meninas. “Fizemos dois times, um com quatro reservas (sem colete) e outro com três (com colete). A brincadeira foi bem sadia e acirrada, o jogo terminou em 8x6 para as meninas de colete”, conta Maria Eliza. “O jogo foi bem divertido e disputado. Eu sempre gostei de jogar, desde pequena, já joguei em outros times também, mas era mais para brincar e aprimorar o futebol”, observa Ianca.
O próximo passo é fazer um uniforme personalizado, com cores diferentes das usadas pelo time masculino.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif