Mudanças em entroncamento dividem opiniões

Um mês depois, PRF avalia que alterações no entorno da rótula da BR-282 ajudaram a reduzir acidentes

863cb4e33989e670e2bc53bc253b473d.jpg Foto: FLÁVIO LENGRUBER

Por: Sofia Mayer*

Depois de pouco mais de um mês, motoristas continuam relatando confusão e dividem opiniões quanto às alterações promovidas no entroncamento da BR-101 com a BR-282, nas proximidades do bairro Bela Vista. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) explica que as mudanças diminuíram consideravelmente a quantidade de acidentes, que era um dos principais problemas do local.

Com as alterações, o cruzamento no viaduto deixou de existir e a passagem passou a funcionar em mão inglesa. Já os veículos que vêm da BR-282, agora, são obrigados a entrar à direita, no sentido Sul. De lá, é possível realizar o retorno à BR-101 Norte.

Uma das principais reclamações tem sido justamente em relação à distância do retorno, localizado em frente à loja Havan, para quem busca acessar a BR-101. Apesar do aumento do trajeto, o motorista Tiago, morador do Passa Vinte, afirma que teve uma boa primeira impressão das alterações, e acredita que elas garantam mais segurança àqueles que vêm da BR-202 em direção ao sentido Norte da BR-101, como foi seu caso. “No fim, achei até mais fácil fazer a volta”, comenta.
 
Relatos dão conta, também, de que motoristas vindos da rua Edeling Schutz, no Centro, estariam desrespeitando as sinalizações e frequentemente invadido a contramão para acessar o sentido Sul da BR-101. “Vou ser bem honesto: o problema não é a rótula alternada, mas a quantidade de maus motoristas que temos. Mal educados, sem habilidade ao volante, sem noção de regras de trânsito”, desabafa o munícipe Taciano Andrade.

Reflexo da falta de atenção dos motoristas ou consequência das próprias alterações no trânsito, a verdade é que há munícipes criticando o congestionamento no local. É o caso de Edina Ribeiro, que afirma que as mudanças deixaram a região ainda mais truncada. “Como que conseguem fazer uma obra que, ao invés de melhorar a circulação dos veículos, é o contrário: filas e mais filas?”, questiona. Segundo a Arteris Litoral Sul, concessionária responsável pelo trecho, as obras têm caráter mitigador, por conta do aumento do tráfego local.

Ela relata que os motoristas também passaram a considerar menos a locomoção dos pedestres com as mudanças. “Esses dias, meu esposo foi a pé para o serviço e levou trabalho para poder atravessar a rua, porque os motoristas não dão a vez para pedestre”, alerta. O munícipe sai do Jardim Eldorado todos os dias e intercala os modos de locomoção. “A pé ou de carro, ele disse que ficou muito ruim”, comenta a esposa. 

Motoristas de aplicativo revelam confusão
Os motoristas de aplicativo, que dependem de mapas com informações atualizadas, revelam confusão no trecho. Isso porque, além das alterações ainda não estarem disponíveis no GPS, os sistemas costumam indicar direções questionáveis, com ruas estreitas e pavimentações falhas. “Na última vez que eu usei, não estava aparecendo no mapa o contorno”, relata o motorista profissional Mike Douglas.

Apesar do transtorno inicial, típico de mudanças recentes, ele acredita que a alteração trouxe mais segurança aos acessos, e que detalhes tendem a ser acertados com o tempo. 


Saldo positivo, segundo a PRF
A PRF afirma que a avaliação do primeiro mês é positiva. O chefe de Comunicação da instituição em Santa Catarina, Luiz Graziano, por exemplo, explica que as filas na BR-282 reduziram sensivelmente. “Lógico que ainda tem congestionamento ali no retorno, porque a BR-101, no sentido Norte, apresenta um problema sério”, destaca. Ele antecipa que a situação no trecho deve melhorar a partir do ano que vem, quando um esperado projeto de abertura de uma terceira faixa deve ser, enfim, executado.
A redução no número de acidentes é outro ponto positivo, comenta Graziano. Uma das principais causas de colisões e filas era justamente o cruzamento sob o viaduto, que deixou de existir com as alterações supervisionadas pela Arteris Litoral Sul.

A Prefeitura comenta, no entanto, que as mudanças acabaram prejudicando moradores do bairro Aririú, e solicitou à concessionária a criação de uma pista exclusiva, na marginal da rodovia, para que os motoristas consigam acessar a avenida Bom Jesus de Nazaré. A demanda surgiu em reunião com a ANTT, PRF e Arteris, no dia 6 de outubro.
 
O prefeito de Palhoça, Camilo Martins, também solicitou a liberação do cruzamento, sentido Centro, abaixo da BR-101, com uma sinaleira. “Por fim, pedimos que o retorno seja realizado mais adiante, para que não haja problemas com caminhões altos que cruzam por baixo do viaduto e danificam a estrutura”, complementou o prefeito, em nota pública, divulgada nas redes sociais.

* Sob a supervisão de Alexandre Bonfim

 

Quer participar do grupo de WhatsApp do Palhocense?
Clique no link de acesso!



Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg