f8cd4f6b92c2fc70f0e82ac7e1a42880.jpg Vacinação em SC: estado ultrapassa 5 milhões de pessoas com esquema vacinal completo

1069b9477a3a0d2f867498dc62b62e0e.jpeg Campanha quer melhorar autoestima de mulheres em situação de vulnerabilidade

5f9a9fdb32314194b4a64723f76fca64.jpeg Membros da comunidade se mobilizam para preservar vegetação na Pedra do Urubu

de47197475943f65b8890285981920fa.PNG Inspirada por Nelson Rodrigues, escritora de Palhoça lança livro de contos

c64875ae6408469efef36af9aa564775.jpeg ViaCatarina recebe mais uma edição da Feira do Artesanato

9570bba7c4646e5c724a73492d325f77.jpeg Produzido em Palhoça, EP de estreia de Yaju está disponível nas principais plataformas digitais

d6d50a1ca4d89a2580356c2c407d6130.jpeg Atletas da FMEC conquistam medalhas no Brasileiro de taekwondo

27e11cacd416c88131ac3f88f6e81065.jpg Copa do Mundo de Amadores contará com dois times de Palhoça

06dcb5028c047a5c6a4971990792762d.jpeg Halterofilismo: Rogério Anderle é campeão no Sul-Brasileiro 2021

b056d29d794b5e1bd70c65f106382a3b.jpg Governador Carlos Moisés abre a 60ª edição dos Jasc e destaca investimentos históricos no esporte

Nova chance para a primeira vitória

Guarani de Palhoça enfrenta o Próspera neste domingo (16), em Criciúma, pela Série B do Catarinense

f82cf1206c24d346972231d095d577d4.JPG Foto: NORBERTO MACHADO

Quatro equipes ainda não venceram nesta Série B do Campeonato Catarinense, com três rodadas já disputadas. Um deles é o Guarani de Palhoça, que vai em busca da primeira vitória neste domingo (16), às 15h, em Criciúma, diante do Próspera, outro time que ainda não teve o gostinho de um triunfo na competição (tem dois empates e uma derrota, mesmo desempenho do Barra; o outro time que ainda não venceu é o Inter de Lages, lanterna da competição, com duas derrotas e um empate até aqui).

O Bugre Palhocense tem a mesma campanha do Colorado Lageano, mas leva vantagem no saldo de gols. Depois de empatar em 1x1 na estreia, diante do Barra, em casa, o time de Palhoça acumulou duas derrotas por 2x1: diante do Blumenau, fora de casa, na quarta-feira (5); e diante do Camboriú, sábado (8), no Renato Silveira.
Em todos os jogos, o Guarani saiu atrás no marcador. Foi assim no sábado, diante de 199 torcedores pagantes. Aos 25 minutos, o lateral-esquerdo Deca recebeu um passe em profundidade, nas costas da zaga, invadiu a área e chutou cruzado; o experiente atacante Sabiá, sozinho na segunda trave, só empurrou para o gol.

O Guarani era melhor no jogo e controlava a posse de bola, mas tinha dificuldade em penetrar a área adversária. Só conseguiu aos 40 minutos, quando Léo Gago recebeu no meio de campo, percebeu a liberdade do lateral Rômulo na esquerda do ataque e fez um passe perfeito. Na sequência do lance, a bola ficou com o artilheiro Rodrigo Silva, que chutou cruzado para fazer o terceiro gol dele em três jogos com a camisa do Bugre.

No segundo tempo, aos 16 minutos, o atacante Paulinho fez linda jogada individual pela direita e cruzou para o cabeceio fatal do meia Rômulo. Novamente atrás no marcador, o Bugre Palhocense martelou a zaga adversária até o final do jogo em busca do empate, que não veio. Por enquanto, nada de vitórias. A nova chance é no domingo, em Criciúma. “Foram três jogos em que a gente dominou, tivemos a posse de bola, mas não fomos eficientes na finalização. O número de finalizações ainda é muito baixo. A gente toca a bola, tem o controle do jogo, mas temos que assustar mais o adversário, temos que fazer o goleiro deles trabalhar, e a gente tem feito pouco isso. Por isso é que, geralmente, a gente sai perdendo. Temos a posse de bola, mas os caras vão lá no contra-ataque e matam”, lamenta o técnico Hudson Coutinho. “Eu tenho certeza de que o jogo em que a gente sair na frente, o panorama é completamente diferente, porque aí, quem vai ter que propor o jogo é o adversário, e vai ter mais espaço para a gente”, acrescenta.

Apesar dos resultados, o treinador mantém a confiança no elenco. “Estou confiante, os três jogos serviram de aprendizado. Neste campeonato, a gente não pode jogar sempre do mesmo jeito, temos que mudar uma coisa ou outra para ver se sai a primeira vitória”, projeta o treinador, sinalizando com mudanças para o duelo com o Próspera. Uma das mudanças já está definida: o zagueiro Alexandre cumpre suspensão pelo terceiro cartão amarelo e João Victor deve atuar na zaga ao lado de Benhur. Outras alterações podem acontecer na lateral direita e no meio de campo, onde um velho conhecido da torcida do Bugre pede passagem. O meia Hegon chegou há apenas duas semanas, mas já participou de alguns minutos dos jogos contra o Blumenau e o Camboriú. Cada vez mais adaptado ao grupo, pode ser uma das novidades no time titular neste domingo. “Se o Hudson precisar de mim desde o início, estou à disposição”, comenta.

Hegon atesta a qualidade do grupo e projeta crescimento ao longo da competição. “O time vem controlando bem os jogos, tem feito jogadas pelas laterais, acho que está faltando um pouco de atenção em alguns setores, em algumas bolas, nas bolas longas. São pequenos detalhes que a gente precisa conversar pra ajustar, e a partir do momento em que a gente ganhar um jogo, a confiança vem. O time é bom, tem qualidade e está jogando bem, o que não pode é perder a confiança, está apenas começando o campeonato”, reflete.

Quem também acredita no poder de reação do elenco é o atacante Rodrigo Silva, vice-artilheiro da Série B, com três gols - Jean Carlos, do Barra, lidera a artilharia, com quatro. Rodrigo marcou gol em todos os jogos: foi um de perna direita, um de perna esquerda e outro em cobrança de pênalti - só falta o gol de cabeça. “Pessoalmente, é um momento bom, fazendo gols, mas a gente ainda está atrás da vitória, dos três pontos. Está faltando um detalhezinho. O time tem jogado bem, já encontrou uma identidade, uma forma de jogar, e temos crescido nos jogos. Uma vitória no domingo dará uma confiança maior e a gente começa a embalar”, analisa Rodrigo Silva.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg