Cartão Rosa - Edição 714

Ricardo, motorista da Jotur que, mesmo enfrentando o nosso caótico trânsito, não deixa de ser cortês e solícito com seus passageiros. Ele anda, para, abre e fecha as portas, troca a marcha, acelera, cobra a passagem e confere o troco sempre com muita simpatia

 

 

Duro de assistir
Como se não bastasse a triste fase do time na Segundona brasileira, o torcedor alvinegro teve que assistir a uma peleja sofrível na noite da terça-feira (5), no Orlando Scarpelli. Jogo de fraco nível técnico, Figueirense x Vila Nova foi o espelho do que esses dois times vêm mostrando nessa competição. Mais pareciam dois times de peladeiros(com todo o respeito àqueles que gostam de uma boa pelada no fim de semana), e não dois times profissionais. Com os dois clubes pressionados para fugir da maldita zona, o que não faltou foram muitos erros de passe, um exagerado números de faltas e a ausência de emoção no jogo. O empate em 0x0 foi um resultado digno de suas posições na tabela de classificação. Jogo duro de assistir. Até a fraca arbitragem foi a cara do jogo. 

Demissões de treinadores
Fábio Carille não é mais técnico do Corinthians. O bom treinador, que já oscilava no cargo, não aguentou o fiasco diante do Flamengo e foi exonerado do cargo. Com ele, até aqui, lá se vão dezenas de demissões de treinadores neste Brasileirão. Mais do que a quantidade de clubes que disputam a Série A de 2019. Conversei com Carille uma única vez, num evento de inauguração de um complexo esportivo na cidade de Guarulhos (SP), que leva o seu nome. Uma pessoa estimada, inteligente e de fácil contato. Um principiante nesta função no nosso futebol, mas com grandes conquistas quando comandou o Timão. Ele não merecia esse desemprego.


Pessimismo
Se fizermos uma pesquisa com os torcedores da Grande Florianópolis, Chapecó e Criciúma sobre as chances de Avaí e Chapecoense sobreviverem na Série A e de Figueirense e Criciúma se manterem na Série B, as respostas não serão nada otimistas. O desânimo parece ter tomado conta da rapaziada diante dos números nada promissores que alguns matemáticos andam anunciando por aí. A turma parece estar desistindo do jogo. Se na Segundona brasileira é dura a realidade, a nossa participação na elite é pior ainda. Mas, enquanto há vida, há esperança.


Banalizando o VAR
É impressionante como alguns “homens do apito”, mesmo com o  reforço do VAR, não sejam capazes de desempenhar agradáveis arbitragens. Assim como o spray, o rádio comunicador, a bandeirinha eletrônica e outras parafernálias, o árbitro de vídeo é outra ferramenta que veio para ajudar os nossos “juízes” a realizarem boas arbitragens. Dá pena ver a má utilização de um equipamento tão bom como esse a favor da arbitragem no Brasil. Infelizmente, estão banalizando o VAR. Em vez de ajudar, estão conseguindo trazer ainda mais problemas. Quem está no comando desses jogos precisa entender que quem apita e decide é o árbitro. Tem muita gente se escondendo por trás do VAR.


Calando a boca
Em junho, durante a pausa para a Copa América, aportava na Cidade Maravilhosa o técnico português Jorge Jesus. Naquele momento, o clube da Gávea estava em terceiro lugar, com oito pontos atrás do então líder Palmeiras. Vinte rodadas depois da chegada do português, o Mengão lidera o Brasileirão, com oito pontos à frente do vice-líder. Jorge Jesus está sendo um progressista, fazendo valer ao extremo o talento individual dos seus jogadores, com um traçado de jogo coletivo bem planejado e competitivo. Ele está calando a boca de muitos torcedores, jornalistas e alguns profissionais do futebol.


Ainda há esperança
O Figueirense é o clube mais vezes campeão do estado, teve participações relevantes na Copa do Brasil e na elite do futebol brasileiro. Isso são lembranças intocáveis e perpétuas. Só que o prestigio do clube no cenário brasileiro não é mais o mesmo e isso tem nome e sobrenome: Claudio Honigman, o homem que comandava a Elephant S/A e que por pouco não levou o clube à bancarrota. De lá pra cá, o time vivenciou momentos de humilhação, quedas de treinadores, contratações de jogadores improdutivos, até chegar na vergonhosa posição no Z-4. Chiquinho de Assis, que já foi um bom prefeito da Capital, está tocando o barco. O time ainda está enfermo, mas nada que não possa ser restaurado. 


DROPS DA ARQUIBANCADA

O saudoso presidente Delfim Peixoto já dizia: “Deixamos de ser o 0 da 101 no futebol brasileiro”. Porém, depois de sua triste partida e com as quedas iminentes dos nossos clubes, estamos voltando à nossa realidade.

Gente malvada tem em tudo quanto é lugar. Aqueles elementos nocivos à sociedade, que adoram ver o circo pegar fogo. Principalmente os que adoram propagar uma fake news, causando danos morais ao próximo. Quem divulga notícias falsas não deixa de ser um criminoso.

Alguns clubes de Santa Catarina já começam a se movimentar para o Catarinão 2020. O Joinville repatriou o treinador Fabinho Santos e chamou de volta o veterano atacante Lima para vestir a camisa 9. Aos 37 anos, Lima estava disputando jogos amadores na Liga Joinvilense de Futebol.

Tem um ditado que diz que tudo pode acontecer no futebol. Mas, diante dos fatos, fica muito difícil acreditar que um milagre possa acontecer para salvar os nossos clubes. Virtualmente, todos já decretaram seu rebaixamento.

O atacante Rafael Marques fez muita falta no jogo diante do Vila Nova. O jogador foi liberado pela diretoria alvinegra para que pudesse acompanhar o velório de sua sogra, em São Paulo. 


Cartão rosa para o Marista Escola Social São José, que beneficia milhares de crianças e adolescentes. O grupo Marista atende gratuitamente jovens e crianças por meio de escolas sociais em algumas cidades brasileiras. Eu estive na quarta-feira (6) neste nobre estabelecimento de ensino para dar uma palestra motivacional aos seus alunos e fiquei encantado com o que vi, com os bons projetos educacionais e pedagógicos.

Cartão vermelho para a torcedora gremista que tirou a camisa numa arquibancada repleta de torcedores e famílias, deixando os seios à mostra durante o último Gre-Nal, em Porto Alegre. Um vídeo está viralizando nas redes sociais. Em um programa numa rádio em Porto Alegre, Maikelly admitiu que tomou aquela atitude com o intuito de ganhar fama, e conseguiu de uma forma vulgar. É inadmissível, num país onde a mulher luta por seus direitos, respeito e seu lugar no futebol, uma mulher tomar uma atitude dessas. Isso é um fato lastimável! 

 

 

Para a alegria do filho Davi, familiares e amigos, quem andou trocando de idade nesta segunda-feira (4) foi o boa praça Nazareno da Casan. A coluna deseja muita saúde



Publicado em 07/11/2019 - por Margarida Clésio Moreira dos Santos

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif