Visita ilustre na Guarda do Embaú

Diretor do Programa das Reservas Mundiais de Surfe da Save The Waves Coalition, Trent Hodges (foto), esteve em Palhoça para conhecer o local

c1d743a7dec8ce71bbe6cb0e901b1814.jpeg Foto: ALEXANDRE JBS

A aprovação da Guarda do Embaú como a nona Reserva Mundial de Surfe (RMS) e a primeira do Brasil, em outubro de 2016, inspirou um movimento nacional para a criação das reservas de surfe no Brasil. Para debater o tema, foi realizado, nos dias 6 e 7 de junho, no Rio de Janeiro, o primeiro workshop regional para a elaboração do Programa Brasileiro de Reservas de Surfe. Após o evento no Rio, o recém-empossado diretor do Programa das Reservas Mundiais de Surfe da Save The Waves Coalition, Trent Hodges (foto), veio para Palhoça para visitar a Guarda do Embaú.

Trent tentou participar do evento no Rio de Janeiro, mas acabou perdendo o workshop em função de um contratempo com o visto de entrada no Brasil. Ele chegou no sábado (8) e participou de várias atividades em Palhoça, como visitas à Prefeitura, à Câmara de Vereadores e ao jornal Palavra Palhocense. O diretor da Save The Waves Coalition também aproveitou para conhecer de perto os encantos da região da Guarda do Embaú, como a Pedra do Urubu e a Prainha. “Adorei o Brasil, é meu país favorito. Nós fizemos uma trilha na Guarda do Embaú para observar o ponto em que o rio (Rio da Madre) encontra o mar, e eu nunca tinha visto algo parecido, um rio daquele tamanho encontrando com o oceano daquela forma, é muito legal, muito bonito”, avalia o norte-americano. “E o rio é o que produz as ondas, então é muito importante que se preserve a qualidade da água”, reflete.

O diretor andou de canoa, acompanhou a pesca da tainha... A única coisa que não conseguiu fazer, nesta primeira visita, foi surfar. “Tudo bem, eu também gosto de pescar”, diverte-se Trent Hodges, que retorna aos Estados Unidos nesta quinta-feira (13). Quem sabe na próxima visita, que já está agendada: em outubro, ele estará na Guarda do Embaú ao lado de outros diretores, fundadores e financiadores da Save The Waves Coalition para a Cerimônia de Celebração Oficial que vai sacramentar a praia palhocense como integrante do seleto grupo de 11 localidades consideradas como Reservas Mundiais de Surfe. É uma espécie de protocolo oficial, quando a Guarda vai receber uma placa atestando o título.

O evento vai acontecer naquela mês porque foi justamente em um dia 27 de outubro que a praia foi aprovada como RMS, há três anos. “A gente tem um pré-projeto do que a gente imagina, vão ser uns três, quatro dias de evento. Vamos trazer outras reservas, artista internacional, surfistas”, projeta Marcos Aurélio Gunge (Kito), presidente do Comitê Gestor Local da RMS Guarda do Embaú.

Estão previstas ações como exposição de fotos, corrida de canoa, exibição de filmes e oficinas. Outra atividade que deve fazer parte do evento é um novo workshop regional para a elaboração do Programa Brasileiro de Reservas de Surfe. O primeiro foi no Rio de Janeiro, e outro evento será realizado no Nordeste. No Rio, dentro da programação do workshop, o “case” da Guarda do Embaú foi escolhido para ser apresentado como um modelo a ser seguido. “É muito satisfatório saber que nossas ações estão repercutindo nacionalmente e a Guarda do Embaú seja motivo de inspiração para outras localidades”, destaca Kito. O programa nacional é uma iniciativa do Instituto Aprender e do Instituto Ecosurf, com o apoio do SOS Mata Atlântica e do Instituto Linha D’Agua, e deve ser lançado oficialmente junto com a Cerimônia de Celebração Oficial.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif