f8cd4f6b92c2fc70f0e82ac7e1a42880.jpg Vacinação em SC: estado ultrapassa 5 milhões de pessoas com esquema vacinal completo

1069b9477a3a0d2f867498dc62b62e0e.jpeg Campanha quer melhorar autoestima de mulheres em situação de vulnerabilidade

5f9a9fdb32314194b4a64723f76fca64.jpeg Membros da comunidade se mobilizam para preservar vegetação na Pedra do Urubu

de47197475943f65b8890285981920fa.PNG Inspirada por Nelson Rodrigues, escritora de Palhoça lança livro de contos

c64875ae6408469efef36af9aa564775.jpeg ViaCatarina recebe mais uma edição da Feira do Artesanato

9570bba7c4646e5c724a73492d325f77.jpeg Produzido em Palhoça, EP de estreia de Yaju está disponível nas principais plataformas digitais

d6d50a1ca4d89a2580356c2c407d6130.jpeg Atletas da FMEC conquistam medalhas no Brasileiro de taekwondo

27e11cacd416c88131ac3f88f6e81065.jpg Copa do Mundo de Amadores contará com dois times de Palhoça

06dcb5028c047a5c6a4971990792762d.jpeg Halterofilismo: Rogério Anderle é campeão no Sul-Brasileiro 2021

b056d29d794b5e1bd70c65f106382a3b.jpg Governador Carlos Moisés abre a 60ª edição dos Jasc e destaca investimentos históricos no esporte

Covid-19: Fisioterapeuta fala de desafios

“Lembro que na época eu fiquei encantada de ver o despertar de cada paciente após ter contato com a fisioterapia”

fa9432e92c262c9b5e8442191e9b9475.jpg Foto: DIVULGAÇÃO

Thiane Aparecida Zimermann, de 24 anos, quando entrou para o curso de fisioterapia na Unisul Pedra Branca (Palhoça) não imaginava que em 2020, ano da sua formatura, também seria um ano de desafios com a pandemia de coronavírus. Thiane, que atua na área cardiorrespiratória com pacientes com Covid-19, disse que decidiu ser fisioterapeuta ainda no Ensino Médio quando trabalhou como bolsista na Apae de Santo Amaro da Imperatriz (SC). “Lembro que na época eu fiquei encantada de ver o despertar de cada paciente após ter contato com a fisioterapia”.

A egressa da Unisul disse que está atendendo, atualmente, pacientes a domicilio com Covid-19, pós Covid e também nos hospitais Imperial Hospital de Caridade e Hospital São Francisco de Assis. “Sinto como uma oportunidade de mostrar o meu trabalho, de precisar pensar rápido e de fazer o meu melhor dentro das condições que temos hoje”, ressalta a fisioterapeuta.

Thiane conta como foi uma das suas experiências com o paciente Paulo, que estava internado com Covid-19.“O seu Paulo renasceu, uma segunda chance de vida. Quando iniciei os atendimentos ele se encontrava de forma gravíssima, com grande desconforto respiratório, episódios de sudorese noturna, se alimentando pouco, e desacreditado nele mesmo.

Mas os dias foram passando e com o tratamento a saturação foi aumentando. Existia a possibilidade de precisar ir para a UTI, porém no meu íntimo eu sabia que ele não iria ser entubado. Algo me dizia: apenas continue… E foi assim, dias incessantes porém com fé que teria um final promissor. E teve. Seu Paulo está em casa, ainda se adaptando a nova rotina e a vida pós Covid-19”.
Para Thiane, atuar na área da saúde neste momento de pandemia é um desafio diário, mas um desafio que vale a pena ser vivido. “São dias com horário para entrar e sem horário para sair do trabalho, porém o coração preenchido por saber que são vidas que dependem da fisioterapia para ter um pouco mais de conforto. Creio que esse momento exige mais do que experiência e sim ter empatia com os pacientes e amor a profissão escolhida”.

A cada paciente, a egressa diz ter uma sensação de preenchimento, de gratidão, e superação. “Não existe um script, um protocolo X que dá certo com aquela pessoa, ela é única. Ver o paciente recebendo alta, é sentir que traçamos o caminho”.

Thiane já tomou as duas doses da vacina, mas diz que mesmo assim tem se cuidado utilizando os IPI’s de forma disciplinada, já que mesmo tomando a vacina o contagio ainda pode acontecer.

 

Quer participar do grupo de WhatsApp do Palhocense?

Clique no link de acesso!



Galeria de fotos: 2 fotos
Créditos: DIVULGAÇÃO DIVULGAÇÃO
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg