Em meio à pandemia, preocupação com a dengue

Leitor encontra mosquito transmissores em casa, na Ponte do Imaruim

0333b5f2a4788d0c2d20cb60cf76e851.jpeg Foto: DIVULGAÇÃO

Por: Sofia Mayer*

 

A denúncia de um leitor, nesta segunda-feira (20), reacendeu a discussão sobre os casos de dengue em Palhoça e o trabalho de combate à doença realizado no município.

Segundo o morador da Ponte do Imaruim, em apenas um dia, cinco mosquitos Aedes aegypti foram capturados dentro da própria residência. O munícipe demonstra preocupação com um possível surto: “Nossa vizinhança tem muitos idosos”.

Após o pedido de providências ao poder público municipal, o jornal Palhocense entrou em contato com a Prefeitura para saber como estão as medidas de prevenção em Palhoça. De acordo com a Secretaria de Saúde, mesmo durante a crise da Covid-19, o monitoramento de armadilhas do mosquito está sendo feito normalmente pelos agentes de endemia: “A diferença é que eles estão utilizando equipamento de proteção individual. O que tem dificultado o trabalho, durante a pandemia, é que as pessoas, naturalmente, estão com medo de receber os agentes nas suas casas para fazer a vistoria”.

Palhoça ainda não tem registros confirmados de casos de dengue.


Situação no estado

Segundo dados divulgados em boletim da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), em 26 de março, 493 casos de dengue foram confirmados, em Santa Catarina, no período de 29 de dezembro de 2019 a 21 de março de 2020.

Desse total, 342 foram transmitidos dentro do estado, 111 ocorrências foram importadas, e 24 casos tiveram o local provável de infecção (LPI) indefinido. Até o dia da publicação do documento, 16 casos estavam em investigação de LPI. 


* Sob a supervisão de Luciano Smanioto


Quer participar do grupo do Palhocense no WhatsApp?
Clique no link de acesso!
 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg