6756091277b19aec741476bf3383d218.jpeg Procon de Palhoça faz fiscalização durante a Black Friday

463cab5085e3cf66cc9b7a5ac915fa9f.jpeg Educação financeira é tema de palestra no Grupo Escolar Pequeno Príncipe

fdf68269a8e4b0bd140c2b3adb49294f.jpg Covid-19: como fica a vacinação nesta segunda-feira (29)

9570bba7c4646e5c724a73492d325f77.jpeg Produzido em Palhoça, EP de estreia de Yaju está disponível nas principais plataformas digitais

2910c210c06278259818c0385bdd8292.jpg Com abertura do Natal Esperança e Luz, clima de festa e solidariedade está oficialmente no ar

d0b134827f35daf7aebcf6873196c5e8.jpg Programa O Balaio estreia e já está disponível em podcast

5204d1e2f0653103f606bbe8f0cd5e45.jpeg Abertura do Natal Esperança e Luz será na quarta-feira (24)

27e11cacd416c88131ac3f88f6e81065.jpg Copa do Mundo de Amadores contará com dois times de Palhoça

06dcb5028c047a5c6a4971990792762d.jpeg Halterofilismo: Rogério Anderle é campeão no Sul-Brasileiro 2021

b056d29d794b5e1bd70c65f106382a3b.jpg Governador Carlos Moisés abre a 60ª edição dos Jasc e destaca investimentos históricos no esporte

39351c576fb8b35178ba2bf59c2ccfc4.PNG Árbitros palhocenses participam de megaevento de vôlei de praia em Itapema

Onde tem fome, não tem futuro

Artigo enviado pela deputada estadual Dirce Heiderscheidt (MDB)

1c05c475fccd924eff3cdd66f6b6fbef.jpg Foto: DIVULGAÇÃO

Por: Dirce Heiderscheidt*

Em apenas dois anos, o número de pessoas em situação de insegurança alimentar grave no Brasil saltou de 10,3 milhões para 19,1 milhões. Nesse período, quase 9 milhões de brasileiros e brasileiras passaram a ter a experiência da fome em seu dia a dia. É o que aponta o Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil, desenvolvido pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar.

Esses números alarmantes e tristes são reflexos dos efeitos do desemprego e da crise econômica gerados pela pandemia, assim como o aumento da inflação e a subida dos preços dos combustíveis, o que reflete diretamente no bolso e na vida das pessoas. Aqui em Santa Catarina, 120 mil famílias vivem com uma renda de até R$ 89 por mês, o que significa uma situação de extrema pobreza. 

Em agosto deste ano, a frase “não sei explicar a fome” ganhou repercussão estadual. Ela veio de um moradora do Frei Damião, em Palhoça. Adriana Santos é catadora de materiais recicláveis e ganhava R$ 500 mensais; com a pandemia e o desemprego, ela e a família vivem com o salário do marido, de R$ 350. 

Os auxílios emergenciais pagos pelos governos federal e estadual permitiram que essa realidade não se agravasse ainda mais. Porém, é preciso que essas políticas se transformem em ações permanentes, atuando diretamente na oferta de emprego e renda e na criação de oportunidades para que essas pessoas voltem a ter autonomia financeira, e consequentemente, o alimento na mesa. 

Quando falta comida na mesa, faltam também condições básicas de educação, falta saúde, falta futuro. A insegurança alimentar é uma das mais tristes consequências da pandemia e precisamos atuar todos juntos para vencer esse fantasma, que impede o nosso pleno desenvolvimento enquanto cidadãos e como sociedade.

* Deputada estadual pelo MDB

 

Quer participar do grupo de WhatsApp do Palhocense?

Clique no link de acesso!



Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg