709613614bcb2725cdaa5ef145969577.jpeg Palhoça participará da 36ª Feira Catarinense de Matemática

f90f3a05155a04f34e156874fdef6efe.jpeg Governador sanciona lei que cria nova Polícia Penal e o Estatuto que a rege

c2abafaee81eeb2b9636708c0e29f559.jpeg Brasil Atacadista de Palhoça comemora Halloween na pista de patinação

113e618973b8ebd17fca0d7d47a14e83.jpeg Pescadores de Palhoça terão ajuda para fazer recadastramento nacional

290414776c163caecd307988082d2124.jpeg Começa a pré-produção de “Ferrolho”, filme ambientado na Pinheira

7af56a643841db6a9098b402f3cb2d62.jpeg Irmão falecido há 18 anos assina letra de "Dilema", música de Guilherme Stingler

fd67d75723bfe78bda89f51eaf466587.jpeg Judoca se prepara para representar Palhoça nos Jogos Escolares Brasileiros

52b0d7288e387bb75af6dcd071294308.jpeg Atletas de Palhoça ganham medalhas na Copa Desterro de Jiu-jitsu Profissional

4591eb7458e13b72850d0266561322bb.jpeg Jovens atletas representam Palhoça em competições estaduais

b1389c69ecc88f51f017f24a6510b6da.jpeg Judoca criado dentro do programa Palhoça Esportiva é campeão estudantil

678354f0c4a3c4a0a66e5acc0f97f463.PNG PBec Brasil vence primeira partida oficial como clube profissional


Padre de Palhoça é o mais jovem de SC

Guilherme dos Santos foi ordenado aos 25 anos de idade. Ele cresceu na comunidade de São Sebastião, e hoje é vigário paroquial em São José

155fce6404903972d61efbf8dee37b73.jpeg Foto: DIVULGAÇÃO

Texto: Isonyane Iris

Aos 25 anos, o palhocense Guilherme dos Santos é hoje o padre mais jovem de Santa Catarina e um dos mais jovens do Brasil. Natural de Palhoça, padre Guilherme cresceu na comunidade do São Sebastião, onde o interesse pelo seminário despertou, ainda quando estava na catequese. Aos 15 anos, entrou para o Seminário Menor Metropolitano Nossa Senhora de Lourdes, de Azambuja, em Brusque, e neste ano foi ordenado o mais novo padre da arquidiocese, pelas mãos do arcebispo Dom Wilson Tadeu Jönck, na Igreja Matriz do Centro de Palhoça.

Guilherme é o caçula da família. A mãe, Maria Madalena dos Santos, conta que engravidou dele aos 44 anos e que já o considerava um presente de Deus na sua vida. “Ele é o caçula de 11 filhos, sendo oito vivos. Nasceu de parto normal, foi um presente de Deus, que já o tinha escolhido e separado para o sacerdócio”, relembra a mãe, bastante emocionada.

O despertar da vocação se deu a partir de um convite do padre Marcelo Fraga, pároco da Paróquia São Francisco de Assis, do Aririú, para conhecer o seminário e participar de um encontro vocacional. “Ele ainda estava na catequese, tinha 15 anos, quando decidiu conhecer o seminário. A gente não sabia como manter os estudos, mas foi na graça de Deus”, celebra a mãe, mencionando que o filho cursou filosofia na Faculdade São Luís, em Brusque, entre 2011 e 2013. De 2014 a 2017, fez teologia na Faculdade Católica de Santa Catarina.

Durante a missa de ordenação presbiteral, concelebrada pelo bispo auxiliar emérito de Florianópolis, Dom Vito Schlickmann, e outros sacerdotes, a reflexão destacava sobre toda vocação cristã ser um chamado. “Devemos escutar, como Nossa Senhora fez. Não temos dúvida que Deus escolheu o diácono Guilherme para tornar Cristo presente no mundo, como Maria Santíssima o fez. E assim, toda vocação ganha essa missão”, destacou Dom Wilson, sendo seguido pela reflexão de que “todo exercício da vocação é ter um coração simples, disponível para responder sim, como Maria. Alegramo-nos muito com sua generosidade, com este sim que foi amadurecendo. Que este momento possa se reverter em muitas graças”.

Com o tema de ordenação presbiteral “Na sua pobreza, ofereceu tudo”, padre Guilherme mencionou que “Jesus nos convida a não nos esquecermos dos pobres, porque deles é o Reino dos céus. Jesus oferece tudo, na pobreza da cruz. Tocam-me profundamente no coração essas palavras, porque rodeado de minhas fraquezas (quem me conhece sabe que são muitas) e na minha pobreza, o Senhor me chamou a oferecer tudo, minha vida inteira, através do Ministério Ordenado”, refletiu. “Agradeço aos meus pais que me deram a vida, aos meus irmãos, à arquidiocese de Florianópolis, ao arcebispo e todo seu presbitério, do qual hoje faço parte. A todos que se ofertaram ao serviço da formação, gratidão pelo testemunho de vida doada. Grato a todas as comunidades, seus párocos que me acompanharam no estágio pastoral. Toda vocação é a resposta de um Deus providente, a uma comunidade orante. E se eu posso pedir alguma coisa, rezem por mim”, pediu padre Guilherme.

Atualmente, ele é vigário paroquial na Paróquia Nossa Senhora dos Navegantes e São Pedro, no bairro Serraria, em São José.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg