Aumento em pedágio muda calendário de obras

Tarifa de pedágio é uma contrapartida do contrato de concessão assinado em 2008 entre a ANTT e a Arteris Litoral Sul

867de2aa15cfc85186cd5f6b2f6f7f76.png Foto: DIVULGAÇÃO

Desde o último sábado (12), a tarifa básica de pedágio no trecho da BR-101 explorado pela Arteris Litoral Sul passou a ser de R$ 3,90. O novo valor é válido para as cinco praças de pedágio da concessionária (incluindo a praça de Palhoça) e foi autorizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), conforme deliberação publicada na edição de 9 de dezembro do Diário Oficial da União.

O reajuste contempla o reequilíbrio econômico-financeiro referente ao trecho Sul do Contorno Viário da Grande Florianópolis (após alterações de traçado e necessidade de túneis não previstos no projeto original). A futura rodovia será um corredor expresso de 50 quilômetros, com pista dupla, seis acessos por trevos, quatro túneis duplos, sete pontes e mais de 20 passagens em desnível.
A assinatura do termo aditivo ao contrato vai permitir o início das obras do trecho Sul do Contorno Viário e também a aguardada execução de terceira faixa no trajeto original da BR-101, entre Palhoça e Biguaçu. 

O anúncio do aumento no pedágio não foi bem recebido, inclusive na classe política. O vereador Luciano Pereira (Avante) discursou a respeito em sessão na Câmara de Vereadores. “Uma vergonha, o reajuste concedido ao pedágio”, lamentou o vereador. “Cadê o rodoanel? Cadê a terceira faixa Sul-Norte, prometida há tanto tempo pela Arteris? Cadê as saídas e entradas na BR, para melhorar o fluxo de veículos aqui dentro do nosso município?”, questionou. O vereador João Carlos Amândio (Bala, PSD) também se manifestou. “Eles dão como desculpa com relação ao rodoanel, mas já foi prometido para 2012. Há oito anos a gente está aguardando para que este rodoanel saia”, lembrou Bala. “Simplesmente, eles (a Arteris) vão lá e enrolam o município, enrolam o estado e estão enrolando o país. O que tem por trás disso aí? Tenho certeza de que deve haver alguma coisa, não é possível, para a situação estar do jeito que está e tudo o que eles pedem de reajuste é fornecido, e essas obras todas atrasadas”, protestou o vereador. 

A tarifa de pedágio é uma contrapartida do contrato de concessão assinado em 2008 entre a ANTT e a Arteris Litoral Sul. Além da operação das rodovias, o contrato de concessão viabiliza investimentos com obras relevantes e uma série de melhorias para o trecho administrado.

Desde 2008, a Arteris Litoral Sul já investiu R$ 4,7 bilhões no trecho sob concessão, com a construção de: 86 quilômetros de vias marginais, 41,9 quilômetros de terceiras faixas, 35 passarelas, 15 trevos, duas áreas de escape e a realização de 2,6 milhões de atendimentos aos usuários.

 

Quer participar do grupo de WhatsApp do Palhocense?

Clique no link de acesso!



Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg