Candidatos falam sobre educação

Nossos candidatos a prefeito apresentam nesta semana suas soluções pensadas para a questões de educação. Que o futuro transforme as propostas do eleito em ações práticas e imediatas!

718c06248aa706b6e3afa857e21bcfb7.jpg Foto: Ricardo Wolffenbüttel/ SECOM

Coronel Ivon - PSL
A educação de Palhoça ainda está longe de ser eficiente, pois faltam equipamentos nas escolas, falta motivação para os professores ensinarem e para os alunos estudarem. Sem contar a falta de vagas nas creches e nas escolas, o que faz com que muitas mães fiquem sem emprego, pois não têm onde deixar seus filhos. Talvez a falta de vagas e a situação precária de nossas escolas seja um dos nossos grandes problemas a se enfrentar. 
Sabemos que somente por meio da educação conseguiremos sanar uma série de outros problemas da nossa sociedade, como a marginalidade, o uso de drogas e a falta de emprego e renda. 
Nosso plano de governo propõe ampliação e modernização de escolas e a valorização dos professores. A ideia é reconhecer, valorizar, qualificar e equipar os professores da rede municipal de ensino. Além disso, o foco é diminuir gradativamente a falta de vagas na Educação Infantil. 
Temos a proposta de criar escolas em tempo integral; reformar e construir creches no município; firmar convênio com a rede privada de ensino, buscando suprir a demanda de vagas faltantes para alunos que dependem de escolas públicas - uma solução de curto prazo, até que as escolas fiquem prontas. 
Há também a ideia de amplo investimento em tecnologia, com a criação de um portal de recursos educacionais inteligente para auxiliar professores e alunos, a fim de facilitar o processo de ensino-aprendizagem. 
Outras ações na área da educação: valorização do esporte e da cultura na educação; valorizar e qualificar a Faculdade Municipal de Palhoça, transformando a instituição em uma sociedade econômica mista, nominada Instituto de Formação Superior e Tecnológico da Palhoça (IFSTP), incentivando a pesquisa de qualidade e extensão.

Eduardo Freccia - Coligação Palhoça Avançando Ainda Mais
A Educação deve ser a pasta de maior importância em qualquer governo. Nos últimos anos, a Prefeitura de Palhoça investiu pesado na educação, com o objetivo de levar às crianças uma educação de qualidade, com uma infraestrutura adequada. 
Quando o prefeito Camilo assumiu, foram encontrados diversos desafios, tais como: escolas em estado precário, profissionais desmotivados, falta de vagas em creches e nas escolas municipais. Com planejamento e dedicação, foram reformadas todas as escolas e creches; construídas novas salas de aulas; abertas 12 novas creches; reformadas as quadras esportivas; instalados aparelhos de ar-condicionado em todas as salas; criado o programa de merenda alimentar; elaborada a base curricular e o plano municipal de educação; capacitação dos profissionais da rede de educação; e a criação de 3.500 novas vagas creche, dentre várias outras importantes ações. Todas elas têm um só objetivo: levar a melhor educação, o melhor ensino, para garantir um futuro melhor ao nosso maior bem, que são as crianças de nossa cidade.
Como professor universitário, tenho a certeza de que a educação é o melhor caminho para o futuro de nossa cidade, e este é um compromisso que assumo com cada cidadão palhocense. Vamos dar continuidade a esse modelo de gestão, aumentando a capacidade da rede de ensino, seja na construção de novas escolas e creches, como na manutenção delas. Iremos ampliar o número de vagas em creches, seja na rede pública ou na compra de vagas na rede privada. Vamos manter o programa de merenda escolar, como também o programa Palhoça com Visão, que levou óculos de grau às crianças com falta de visão, melhorando a qualidade de ensino. Com os profissionais da área de educação, vamos aprimorar cada vez mais o conteúdo oferecido aos nossos alunos, levando educação de qualidade à rede municipal. Além disso, vamos modernizar a Faculdade Municipal de Palhoça (FMP) com cursos voltados para atender à vocação de nossa cidade.


Jailson Rodrigues - PT
A educação de Palhoça necessita de muitas mudanças. Na atual gestão, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb 2019), nos anos iniciais da rede municipal, de 5,5, não atingiu a meta de 6,0 e ainda apresentou queda em relação ao levantamento anterior, de 2017, quando recebeu nota 5,7. Com relação à situação das escolas, 64,2% estão em estado de alerta, atenção ou precisam melhorar. Nossas propostas objetivam aumentar as vagas em creches em todos os bairros, a fim de zerar as filas, além de ampliar os horários de atendimento e melhorar as estruturas existentes.
Nosso plano prevê a construção ou reforma de quadras poliesportivas com cobertura, parque infantil e brinquedoteca. Para os professores e profissionais da educação, vamos melhorar o plano de cargos e salários e estabelecer parcerias com as universidades para a promoção de qualificação acadêmica através de cursos de pós-graduação.
Planejamos informatizar todas as escolas e promover o acesso de alunos e professores a novas tecnologias e recursos de ensino para reduzir a exclusão digital. Aos estudantes, vamos entregar uniformes e materiais escolares e efetivar o passe livre escolar. Para melhorar a aprendizagem, vamos criar o Projeto de Reforço Escolar Aprender Mais, com atividades no contraturno escolar.
O currículo terá a inclusão de temas como sustentabilidade, finanças públicas, economia solidária, direitos humanos, cidadania e participação popular. O processo de democratização da gestão será fortalecido com nosso projeto pedagógico, eleições diretas e reforço dos Conselhos Municipais (Educação, Fundeb e Alimentação).
Temos o compromisso de garantir a inclusão das crianças com deficiência, assegurando acessibilidade, materiais pedagógicos específicos e formação para os profissionais de Atendimento Educacional Especializado. Vamos implementar políticas voltadas ao fortalecimento das culturas afrodescendentes e indígenas.


Jean Negão - Patriota
A Educação em Palhoça precisa de choque de gestão. Precisamos promover uma educação transformadora em todas as áreas, seja no ensino infantil, fundamental ou de jovens e adultos, bem como no ensino superior da Faculdade Municipal de Palhoça.
Precisamos ampliar a oferta de creche e na pré-escola, pois é inadmissível vermos crianças ainda sem vagas para estudar. 
O ensino em período integral será nossa prioridade, dando condições para que a criança tenha no mínimo cinco refeições e seus pais possam trabalhar com tranquilidade.
Temos que priorizar a criança no orçamento municipal, melhorar as condições de trabalho de professores, viabilizar salários compatíveis e capacitação constante. 
Uma ampla reforma em todas as unidades escolares e a construção de novas creches serão nossas prioridades. 
Precisamos dotar as escolas de novos equipamentos, com laboratórios de aprendizagem avançada, espaços de leitura, lazer e esportes.
No ensino superior, transformaremos a FMP num Instituto de Formação Superior de Pedagogia, Tecnologia e Empreendedorismo, com uma sede própria e com parcerias com a iniciativa privada.


Luciano Pereira - Avante
A educação em Palhoça precisa de uma atenção especial. O município não atende a toda demanda de vagas em creches e no ensino infantil, mesmo tendo dito que dobraram o número de crianças em creches, sabemos que tirar o período integral foi um grande erro e não atende as mães trabalhadoras do nosso município. Ainda assim, há mães que não trabalham por não terem condições de pagar uma escola em meio período. 
Além disso, Palhoça cresceu desordenadamente nos últimos anos e não abrimos mais vagas em escolas, havendo ainda um grande número de jovens e crianças que não são assistidos pela rede de ensino municipal.
E, também, as associações estão sofrendo por falta de auxílio financeiro para conseguirem se manter. Elas fazem um trabalho incrível e não são vistas pelo município; têm que fazer bingos, rifas e festas beneficentes para conseguirem se manter financeiramente.
Há ainda um outro problema: com a pandemia, não tivemos planejamento para o ensino a distância, muitos com certeza perderam o ano letivo. Não estávamos preparados para a pandemia, nem como população nem como gestão do município. Fomos pegos de surpresa e não conseguimos ainda diminuir os impactos que isso trouxe.
Se eleito for, quero zerar as filas de espera em creches e ensino fundamental. Vamos entender a demanda e construir mais escolas e creches onde deve ser feito. A creche será em período integral, não vamos privatizar o ensino. As associações terão repasse financeiro maior por cada criança. E vamos também desenvolver melhorias para o ensino a distância, principalmente com mais tecnologia. 
Eu quero um ensino de qualidade, escolas que atendam à demanda das mães que trabalham fora. Eu quero uma Palhoça melhor!


Rangel Medeiros - PSol
A pandemia fez a população olhar com um pouco mais de atenção para a educação. Entendemos que parte dos problemas está relacionada à desigualdade social e à falta de estrutura no sistema de ensino. Por isso, defendemos alguns pontos: 
- Melhorar o plano de carreira do magistério municipal;
- Abrir escolas ou ampliar as existentes, pois a demanda está crescendo bastante. Providenciar recursos tecnológicos para as escolas e treinamento para os professores. Programa de saúde preventiva no ambiente escolar, com consultório itinerante que vai circular nas escolas em datas pré-agendadas (economia no sistema de saúde);
- Aumento da oferta de ensino em contraturno, e ampliação do Programa de Educação Musical;
- Construção de ginásios e quadras cobertas, com possibilidade de uso compartilhado entre escola e comunidade;
- Ampliar as vagas de creches em tempo integral – exigir das construtoras maior contrapartida para viabilizar as construções;
- Democratização da gestão da educação através da eleição de diretores e implantação de grêmios estudantis;
- Viabilizar a compra ou construção de uma sede própria para a Faculdade Municipal de Palhoça (FMP), para fortalecer esta instituição que é fundamental para a elaboração e acompanhamento de projetos de desenvolvimento da cidade. Reabrir cursos de pós-graduação adaptados às demandas e necessidades do município;
- Projetos de educação em tempo integral em bairros socialmente mais vulneráveis, ampliando gradativamente para toda a rede;
- Contratação de mais profissionais da educação em caráter efetivo. Reduzir ao máximo a quantidade de contratações temporárias, que dão menor estabilidade e piores condições de trabalho aos profissionais;
- Ampliação dos programas de Educação de Jovens e Adultos (EJA).


Repórter Sérgio Guimarães - PL
Vejo com muita tristeza um município com uma das maiores arrecadações de SC, com orçamento de quase 900 milhões de reais por ano, sendo quase R$ 160 milhões por ano destinados à educação, ter 5 mil crianças na fila esperando vaga em creche; ter notas muito baixas no Ideb; e o prefeito levar multa por não conseguir cumprir metas do Plano Nacional de Educação. A questão das creches deve ser uma política pública prioritária - na maioria dos casos, um dos pais não pode trabalhar e ajudar no sustento da família por não ter com quem deixar o filho, portanto, tem consequências não só na área educacional, mas também no rendimento financeiro das famílias. Com orçamento de R$ 160 milhões por ano, a educação de Palhoça tem mais de R$ 13 milhões por mês. Se o dinheiro fosse investido priorizando as pessoas, com responsabilidade, zelo e carinho, esse problema não existiria.
A médio prazo, a solução passa pela construção de novas creches, ampliação das já existentes, melhoria dos convênios com os centros comunitários para que possam ampliar o atendimento e atender mais crianças nos bairros. Porém, de imediato, a aplicação da Lei 4690/19, que autoriza a compra de vagas em instituições particulares sempre que não houver disponibilidade de atendimento na rede pública municipal. Desde 2019, não deveríamos ter crianças sem vaga em creche, mas a prioridade, até agora, pelo jeito, foi outra. Um exemplo é: cortando 200 dos 500 cargos de confiança que essa gestão tem, já teria recurso suficiente para tirar as 5 mil crianças da fila imediatamente, sem sequer precisar gastar dos mais de R$ 13 milhões por mês que cabe à educação. 
Já as notas baixas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2019 confirmaram a má gestão da educação municipal. O desenvolvimento nos últimos anos é nulo ou teve retrocesso.
E o fato de não conseguir cumprir metas do PNE (plano nacional com 10 diretrizes e 20 metas para nivelar e elevar o nível da educação em todo Brasil) é gravíssimo, um descaso.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg