Com uso de tecnologia, PM monitora isolamento

A última semana registrou que 64,6% da população adotou o distanciamento social

5b80b927d409c8bb1acdd4ef2ac80805.jpeg Foto: DIVULGAÇÃO/PM

Com dados de localização, coletados dos celulares, a Polícia Militar de Santa Catarina acompanha o número de catarinenses em isolamento, desde o início das medidas restritivas em combate ao novo coronavírus. Em 18 de março, primeiro dia de validade do decreto estadual, 62% das pessoas dessas áreas monitoras não tiveram grandes movimentações.

A última semana registrou que 64,6% da população adotou o distanciamento social, estratégia recomendada pelo Ministério da Saúde. 

O comandante-geral da Polícia Militar de Santa Catarina, coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Júnior, afirmou que, em Santa Catarina, na medida em que o tempo foi avançando, apesar da flexibilização das medidas adotadas e mudanças nas regras de alguns setores para voltarem a funcionar de forma gradual, a população se manteve em casa. “Tivemos uma redução da imobilidade, daqueles que estavam em isolamento, de aproximadamente 6% apenas”, registra.

Para ele, isso significa que a educação e a orientação vão substituindo a fiscalização e a normatização: “Nós estamos conseguindo manter padrões aceitáveis de isolamento social na maior parte de Santa Catarina”.

 

Segurança de dados

O monitoramento do grau de isolamento social, usando uma tecnologia que mapeia a localização de mais de um milhão e meio de celulares de Santa Catarina e que mede quantas pessoas se deslocam nesse período, do seu endereço original por mais de três horas, integram a base de dados da In Loco. A empresa fornece um sistema de geolocalização presente em aplicativos instalados em cerca de 60 milhões de celulares no país. A companhia destaca que não há envio de dados individuais e que as informações serão apagadas após o fim da pandemia. Os governos têm acesso aos mapas (com a localização) e recebem estatísticas. Não é possível identificar os usuários.

Em Santa Catarina, os dados são analisados em conjunto com outras ferramentas de tecnologia que já estavam à disposição. “Na instância estratégica, estamos usando essa informação para formar opinião sobre a maior ou menor restrição de atividades econômicas com base no acompanhamento do grau de isolamento. No nível operacional, estamos fazendo uma experiência de direcionar ações de patrulha para locais que apresentam baixo grau de isolamento social”, explica o coronel Araújo Gomes.

 

Quer participar do grupo do Palhocense no WhatsApp?
Clique no link de acesso!
 

 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg