Mobilização na Guarda do Embaú

Manifestação está marcada para esta quinta (28); ressacas sucessivas comprometem o deslocamento de moradores

d519323bb52b40993f55bb03b04548bc.jpeg Foto: PLÍNIO BORDIN/DIVULGAÇÃO

Por: Sofia Mayer*

 

Moradores da Guarda do Embaú estão passando por transtornos na hora de se deslocar. É que, com as sucessivas ressacas que vêm atingindo a praia desde o dia 23 de abril, a orla foi tomada pelo mar, fazendo com que moradores da beira do Rio da Madre, sobretudo idosos, não consigam sair de casa com segurança. Imagens captadas por moradores nesta terça (26) mostram canos de abastecimento de água estourados, deixando os residentes sem água pela segunda vez desde o início dos casos de maré alta. Uma das preocupações é de que postes e muros também acabem ruindo com a força da água.

A presidente da Associação Comunitária da Guarda do Embaú, Telma Vieira Correia, mora na comunidade há 25 anos e afirma que nunca presenciou um cenário tão crítico na região. “Já fiz um abaixo-assinado e encaminhamos à Prefeitura várias solicitações. A coisa está ficando cada vez mais feia. Está dando ressaca em cima de ressaca e está ‘comendo’ tudo”, desabafa. A palhocense conta que a Defesa Civil já realizou um laudo referente à situação, mas, com a burocracia lenta, que envolve a participação de outros órgãos, os moradores, principalmente os mais velhos, seguem em situação de vulnerabilidade.

De acordo com Telma, por conta da maré alta, que acabou rompendo os canos de abastecimento na terça-feira (26), a comunidade está sem água. “Nós ficamos, anteriormente, duas semanas sem”, conta a moradora, recordando que a Samae chegou a fazer reparos no local há alguns dias, quando haviam enfrentado o problema pela primeira vez. Um dos receios é o de que as casas acabem ficando sem energia elétrica também: “Os postes da beira do rio correm o risco de cair, e aí nós ficamos sem luz, afetando toda a rede. Causaria um transtorno incalculável”. 


Manifestação 

Uma mobilização, com participação de toda a comunidade, está marcada para esta quinta-feira (28), às 15h, na pracinha da Guarda do Embaú. A ideia é solicitar agilidade no processo, já que populares garantem que novas ressacas estão por vir. Segundo Telma, a Polícia Militar foi acionada e disponibilizará uma viatura para dar guarnição aos manifestantes. 

Segundo a Defesa Civil, todos os encaminhamentos necessários já estão sendo realizados. A Secretaria de Infraestrutura e Saneamento revela que está elaborando projetos, visando à recuperação da orla atingida pela ressaca, no balneário Guarda do Embaú, e que pleiteia, junto ao Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), as licenças ambientais necessárias para os procedimentos.

Clique aqui e assista a um vídeo que revela os problemas enfrentados pelos moradores.
 

* Sob a supervisão de Luciano Smanioto


Quer participar do grupo do Palhocense no WhatsApp?
Clique no link de acesso!
 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg