f8cd4f6b92c2fc70f0e82ac7e1a42880.jpg Vacinação em SC: estado ultrapassa 5 milhões de pessoas com esquema vacinal completo

1069b9477a3a0d2f867498dc62b62e0e.jpeg Campanha quer melhorar autoestima de mulheres em situação de vulnerabilidade

5f9a9fdb32314194b4a64723f76fca64.jpeg Membros da comunidade se mobilizam para preservar vegetação na Pedra do Urubu

de47197475943f65b8890285981920fa.PNG Inspirada por Nelson Rodrigues, escritora de Palhoça lança livro de contos

c64875ae6408469efef36af9aa564775.jpeg ViaCatarina recebe mais uma edição da Feira do Artesanato

9570bba7c4646e5c724a73492d325f77.jpeg Produzido em Palhoça, EP de estreia de Yaju está disponível nas principais plataformas digitais

d6d50a1ca4d89a2580356c2c407d6130.jpeg Atletas da FMEC conquistam medalhas no Brasileiro de taekwondo

27e11cacd416c88131ac3f88f6e81065.jpg Copa do Mundo de Amadores contará com dois times de Palhoça

06dcb5028c047a5c6a4971990792762d.jpeg Halterofilismo: Rogério Anderle é campeão no Sul-Brasileiro 2021

b056d29d794b5e1bd70c65f106382a3b.jpg Governador Carlos Moisés abre a 60ª edição dos Jasc e destaca investimentos históricos no esporte

Mãe quer vaga de estacionamento para portadores de deficiência no Pagani

Criança de 4 anos com necessidades especiais precisa caminhar mais do que o necessário porque não existem vagas preferenciais

5d541ba9b46678de6e05571dc631e579.jpeg Foto: DIVULGAÇÃO

Por: Willian Schütz*

Atualmente, mais de 17 milhões de brasileiros são portadores de algum tipo de deficiência física ou intelectual. Essas pessoas passam por desafios para se incluírem na rotina da sociedade. Em Palhoça não é diferente. As condições de mobilidade urbana no município vêm sendo desafiadoras. Esse é o caso de uma criança de 4 anos com necessidades especiais, que precisa caminhar mais do que o necessário porque sua mãe tem dificuldades de encontrar vagas de estacionamento para deficientes.

O pequeno palhocense precisa fazer terapia em um edifício situado no Pagani. No entanto, o estacionamento do prédio não conta com vagas preferenciais. Por conta disso, muitas vezes a mãe tem de estacionar em locais distantes e ir andando com o menino até o local.

Segundo a mãe do menino, o edifício em questão “é muito bonito, moderno, mas sem uma vaga preferencial”. “Inclusive, plantaram um coqueiro que fica embaixo da marquise, onde passava com meu filho nos dias de chuva. Costumo ir com meu filho no colo, mas sei que em breve ele estará grande e eu também não conseguirei mais fazer isso”, relata a mãe.

A criança em questão teve uma paralisia cerebral quando nasceu. Por isso, só começou a caminhar quando tinha quase quatro anos, mas com muitas dificuldades. Ele é surdo e tem transtorno de déficit de atenção hiperativo. Nessas circunstâncias, ele precisa fazer tratamentos como fisioterapia, fonoaudiologia, hidroterapia, entre outras atividades.  

Ainda segundo a mãe do menino, o síndico do edifício em questão está ciente da situação. 

Há amparos legais e até constitucionais referentes à acessibilidade das pessoas com deficiência. 

Exemplo é um trecho do artigo 277 da Constituição Federal, que diz ser obrigatória “a facilitação do acesso aos bens e serviços coletivos, com a eliminação de obstáculos arquitetônicos e de todas as formas de discriminação”. 

Além disso, a área de estacionamento para veículos que transportem pessoas com deficiência física está prevista nas Resoluções 302/08 e 304/08 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). 

Já a Lei Federal 10.098, sancionada em 2000, preconiza a acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência e com dificuldade de locomoção. Tanto que, em seu artigo 7, estabelece a obrigatoriedade de reservar 2% das vagas em estacionamento regulamentado de uso público para serem utilizadas exclusivamente por veículos que transportem pessoas portadoras de deficiência ou com dificuldades de locomoção.

Sabendo dessas e de outras determinações legais, a mãe da criança já abriu um protocolo na Prefeitura de Palhoça, a fim de conseguir que o local receba uma vistoria ou que alguma das vagas seja demarcada como exclusiva para deficientes. O protocolo segue em processo de análise. 

* Sob a supervisão de Alexandre Bonfim

 

Quer participar do grupo de WhatsApp do Palhocense?

Clique no link de acesso!



Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg