Programa PH Música estreia nesta sexta (11)

Nova criação do jornal Palavra Palhocense para as plataformas digitais vai mesclar momentos históricos do Snoopy Festival com a cena musical atual em Palhoça

91cccf8c952ab0f7fe3ce1becf5c3a43.jpeg Foto: Projeto Memória Palhocense

Por: Willian Schütz*

Com o objetivo de valorizar os músicos palhocenses do presente e do passado, surge o programa PH Música, que trará vídeos semanais de artistas que levam a musicalidade de Palhoça aos ouvidos do povo. Promovido pelo jornal Palavra Palhocense, o programa estreia na sexta-feira (11), nas redes sociais do veículo.    

As novas edições irão ao ar sempre às sextas-feiras, às 15h, alternando apresentações históricas e divulgação de artistas da atualidade. A estreia contemplará um registro da música “Jogue Flor Neste Quartel”, gravada em 1992. A filmagem foi na quinta edição do Festival de Músicas Inéditas de Palhoça, que era realizado no Snoopy Bar, destino de muitos jovens que passavam pelo Alto Aririú na década de 1990.

“Jogue Flor Neste Quartel” é uma canção de Salésio Passos, interpretada pelos músicos: Edésio Medeiros, no baixo e no vocal; Rubão, baterista, que já faleceu; Luciano, na guitarra; Cidão, tocando a viola; Celinho, como tecladista; e Renato, no pandeiro.

Os registros históricos que serão apresentados ao longo das edições do PH Música pertencem ao projeto Memória Palhocense. A maioria remete justamente ao Festival de Músicas Inéditas de Palhoça, que tinha realização do jornal O Palhocense, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura.

O mais longevo festival de músicas autorais já realizado em Santa Catarina não poderia deixar de ser uma das principais fontes de material para o programa. A primeira edição foi em 1988, e o festival foi realizado anualmente e sem qualquer interrupção até 2005, sempre no período de quaresma. “As filmagens antigas que serão exibidas no PH Música foram feitas por nós mesmos: meu irmão, Dauri José da Silva, era cinegrafista e filmou boa parte do que aconteceu nesses 17 anos”, revela João José da Silva, fundador do jornal O Palhocense e organizador do saudoso evento. “O festival acontecia durante toda a quaresma e tinha os principais shows de eliminatórias de sexta até domingo, e no final de cada edição do festival, a gente sempre trazia uma atração nacional”, pontua. 

“Como o Snoopy era o único local que tinha uma atração cultural, o pessoal acabava vindo para cá de Lages, Bom Retiro, Imbituba, São José”, lembra João, informando que a casa chegava a abrigar de 3 mil a 4 mil pessoas.


Música contemporânea

Para compor o material contemporâneo, os músicos palhocenses em atividade podem participar e mostrar seus trabalhos. Para isso, basta entrar em contato com o jornal Palavra Palhocense, através das redes sociais, para enviar seus materiais. 

Segundo o editor-chefe do veículo, Alexandre Bonfim, a ideia é valorizar os músicos de Palhoça. “O jornal Palhocense se preocupa e está sempre abrindo espaço para essas iniciativas, e tem muito orgulho dos músicos da cidade, que conseguem criar uma cena musical local, apesar dos pesares e das dificuldades, ainda mais em momentos de pandemia”, salienta Alexandre, responsável por dar voz à apresentação dos vídeos. 

Ao longo de toda a realização, os programas do PH Música ficarão disponíveis nos perfis do Palavra Palhocense no YouTube, no Facebook e no Instagram, onde o jornal soma mais de 100 mil seguidores. 

* Sob a supervisão de Alexandre Bonfim

 

Quer participar do grupo de WhatsApp do Palhocense?

Clique no link de acesso!



Galeria de fotos: 7 fotos
Créditos: Projeto Memória Palhocense Projeto Memória Palhocense Projeto Memória Palhocense Projeto Memória Palhocense Projeto Memória Palhocense Projeto Memória Palhocense Projeto Memória Palhocense
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg