Defesa Civil de PH em alerta por causa da chuva

Monitoramento está sendo feito em toda a cidade. Até o início da tarde desta quinta-feira (24), situação mais preocupante era na Barra do Aririú

f2bf08e8c5d2bf07b9dbfc2e75965274.jpg Foto: LUCIANO SMANIOTO

A chuva que castiga a região metropolitana da Grande Florianópolis deixou a Defesa Civil de Palhoça em alerta. Toda a cidade está sendo monitorada, e por enquanto, a situação mais preocupante é na Barra do Aririú.

A expectativa é de chuva forte na região até o final da noite desta quinta (24). A situação pode se agravar ainda durante a tarde, pois há expectativa de maré alta após as 16h - e quando a maré sobe em dia de chuva, costuma provocar alagamentos por diversas regiões do município. "Estamos mapeando desde hoje de manhã, percorremos o município todo. Não tivemos nenhum ponto de alagamento pela manhã. Agora, no início da tarde, tivemos no bairro Pachecos, Barra do Aririú, região de Laranjeiras... A Barra está bem afetada, pessoal está fazendo monitoramento lá e questionando as pessoas se há a possibilidade de quererem ir para um abrigo ou não. Já deixamos o pessoal da Assistência Social em alerta. Vamos monitorar. A maré está em baixa-mar e não em preia-mar, e conforme for, final de tarde, se a chuva não passar, talvez a gente faça a abertura de sala de situação", explica o coordenador municipal da Defesa Civil, Júlio Marcelino.

A sala de situação é convocada para unir forças. São elencados os principais pontos de alagamento ou deslizamento e são acionados os gestores municipais e secretarias que possam auxiliar no atendimento às pessoas afetadas, como Assistência Social, Saúde e Serviços Públicos. O Corpo de Bombeiros é outro parceiro imprescindível, principalmente para a retirada das pessoas em áreas de risco e o transporte para os ginásios da cidade que possam ser abertos para servirem de abrigo.


RECOMENDAÇÕES DA DEFESA CIVIL

Tempestades: Proteja-se em local abrigado, longe de placas, de árvores, de postes de energia e de objetos que podem ser arremessados. Se não encontrar um abrigo, agache-se com os pés juntos, com a cabeça encostada em seu peito ou entre os joelhos e as mãos cobrindo suas orelhas ou apoiadas em seus joelhos. Se estiver na praia, jamais fique na água. Se estiver em casa ou qualquer outro local abrigado, desligue os aparelhos eletrônicos, não use o telefone, fique longe das janelas e lembre-se, o banheiro em alvenaria é o melhor local durante uma tempestade!

Alagamentos/inundações: evitar o contato com as águas e não dirigir em lugares alagados. Evitar transitar em pontilhões e pontes submersas e cuidado com crianças próximas de rios e ribeirões.

Enxurradas: Não fique próximo às margens de rios e ribeirões, principalmente em regiões de relevo acentuado, montanhoso e pequenos vales, pois muitas vezes há temporais intensos sobre os topos e cabeceiras, gerando repentinamente grande quantidade de água num curto espaço de tempo. Este tipo de evento adverso apresenta grande poder destrutivo, podendo arrastar veículos, pessoas, animais e mobílias por vários quilômetros. A força das águas pode ainda provocar o rolamento de blocos de pedras, arrancar árvores, destruir edificações e causar deslizamentos de terra nas margens.

Qualquer problema deve ser comunicado à coordenadoria municipal de Defesa Civil, através do telefone de emergência 199, Corpo de Bombeiros 193 ou Polícia Militar 190.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif