Estudante de Palhoça vai competir na Rússia

Gabriel Hoffmann participa da etapa mundial do WorldSkills, na área de Manutenção de Aeronaves

c4c0d9d6ac0975347c3edf7d00a97c76.jpeg Foto: DIVULGAÇÃO

Nove estudantes catarinenses embarcam para Kazan, na Rússia, neste domingo (18) para participar da WorldSkills Competition, torneio mundial de educação profissional. Eles se unem a outros 54 estudantes brasileiros que representarão o país na competição, na qual precisam demonstrar competências e habilidades em atividades típicas de cada profissão. Um desses estudantes é de Palhoça: Gabriel Hoffmann, morador do Bela Vista que estudou Manutenção de Aeronaves no Senai do Jardim Eldorado.

Gabriel conta que entrou no curso em 2015, logo que acabou o Ensino Médio. “Minha intenção era fazer um curso de piloto, porém, devido ao preço ser muito elevado, acabei deixando de lado. Então, fui pesquisar sobre manutenção, e descobri que no Senai de Palhoça havia o curso de mecânico de aeronaves, então, no penúltimo dia de matrícula, eu consegui me inscrever”, relembra.

O estudante fez o curso na parte de aviônicos, que é a parte elétrica, eletrônica e de instrumentos das aeronaves. “Logo que acabei o curso, devido às minhas notas, recebi o convite para participar do WorldSkills”, revela. O caminho percorrido até chegar à Rússia foi longo. Primeiro, teve uma etapa escolar; depois, veio a etapa estadual (como é a única escola com esse curso em Santa Catarina, bastou uma prova de índice). “Basicamente, foi estipulada uma nota e eu tinha que atingir essa nota”, detalha. Logo após passar no estadual, Gabriel ficou treinando por mais um ano até chegar à etapa nacional, que foi realizada em Palhoça, no ano passado, onde superou a equipe de São Paulo para garantir vaga no time nacional. Em janeiro deste ano, os campeões de todos os cursos se reuniram em Brasília para um período de treinamento, que terminou na sexta-feira (9). “Passamos por diversos simulados até aqui, para testar nosso desempenho e uma crescente nas notas”, enumera o estudante, que nesta semana voltou a Palhoça. No domingo (18), ele já parte para Kazan, para competir na etapa internacional. “Estou confiante, seguro. Treinei em um nível muito superior ao que é cobrado no Mundial”, projeta o estudante. “No ranking geral, o Brasil geralmente fica com um bom desempenho, porém, na minha ocupação, ainda não houve medalhas até agora”, afirma, confiante em trazer a primeira medalha para o Brasil.

Allan Scholze (São Bento do Sul, em Fresagem CNC), Eduardo Hermann (Blumenau, em Gestão de Sistemas de Redes TI), Gabriele Raiser (Blumenau, em Vitrinismo), Gabriel Ribeiro (Blumenau, em Soluções de Software para Negócios) e a dupla Raissa Marcon e Jean Carlos Novak (Florianópolis, em Segurança Cibernética) compõem o restante da delegação catarinense - a maior que o Senai/SC já enviou ao evento. Além deles, duas estudantes do Senac integrarão o time: Isadora Berti Guedes Pereira (Tubarão) competirá em Estética e Bem-Estar, e Jéssica Cristina de Campos (Rio do Sul), em Floricultura.

A delegação brasileira, que possui jovens de 12 estados, é uma das favoritas na disputa. O Brasil foi campeão em 2015, quando o torneio ocorreu em São Paulo. Dois anos depois, o país manteve-se no pódio, em segundo lugar, na competição realizada em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. Os catarinenses conquistaram uma medalha de ouro em Polimecânica e quatro medalhas de excelência. “Temos uma educação profissional de excelência, por isso obtemos ótimos resultados em competições educacionais. Nossas escolas formam profissionais conectados ao novo mundo do trabalho, prontos para ajudar a indústria a enfrentar esse mundo cada vez mais globalizado”, lembra o diretor-regional do Senai/SC, Fabrizio Machado Pereira.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif