Beltrano - Edição 741

 

Só com muita reza brava

 

Minha Santa Piriquita da Cova Funda! De que o mundo está virado, não se tem dúvida! É o fim do mundo, minha gente! A vagabundagem está grande! Para se ter uma ideia, estão falsificando ova de tainha! O Antônho do Bidunga comprou umas ovas e quando chegou em casa é que viu que era tripa com papinha de farinha de milho! É o conhecido caviar de pobre! Rá, rá, rá, rá...

Veja só como são as coisas! No último final de semana, roubaram uma rede de pesca na Pinheira, picaram e venderam como tarrafa! É que a região da Pinheira no inverno fica totalmente descoberta! É que a polícia não faz a Operação Verão no inverno! Em Palhoça, quem com ferro fere, provavelmente não tem revólver! Até as tainhas que estão chegando em Palhoça estão dizendo: “Estamos fritas”.

A dona Jandira, lá do Furadinho, me confidenciava que o Senhor é seu pastor, e fica latindo a noite inteira no quintal de sua casa! Pelo menos tem mantido os larápios longe e nenhum candidato vai ter coragem de entrar no seu quintal para pedir voto nesta eleição!

Notícias superinteressantes: “Vai chegando a campanha eleitoral e vários políticos da Câmara e da Prefa vão se internar no Hospital Regional para desobstruir os intestinos. É que durante quatro anos não fizeram bosta nenhuma”. Digo “bosta” pra não dizer aquele palavrão que vive na boca do Bolsonaro! Rá, rá, rá, rá... Por falar em palavrão, parece que vão fazer DNA no nosso presidente, pois desconfia-se de que ele é filho da Dercy Gonçalves! Rá, rá, rá, rá...

Fofoca: “Conhecida mulher de um importante político palhocense, não tendo mais onde colocar silicone, voltou à clínica de estética esta semana para colocar silicone no peito do pé!” Ele me revelou que a esposa passa bem, embora quem passe e lave na sua casa seja ele. Rá, rá, rá, rá...

Nesta campanha, o que mais vai se ver é candidato pobre e com coronavírus. Quero ver como vão fazer para dar o tradicional tapinha nas costas! Alguns não vão pra frente nem com a ajuda dos santinhos! O candidato pobre é aquele que jura que vai se eleger e já começa a gastar por conta! Tem aquele que admite que é pobre e diz abertamente para o eleitor: “Eu podia estar roubando, traficando, assaltando, mas não, estou aqui pedindo seu voto para ir pra Câmara, tio”. Rá, rá, rá, rá... Vai rezar pra Deus primeiro, seu fariseu! Rá, rá, rá, rá...

 

Ave Maria cheia de graça
Nos livre de pagar mico
Vem chegando uma eleição
Com um caminhão de político
Prometendo um mundo novo
Pra colocar no fiofó do povo
E fazer da urna pinico.
 
Senhor é convosco, bendita sois vós
As promessas e benesses de campanha
Que depois são esquecidas
Numa grande artimanha
Vote certo, pense bem
Não venda o voto a ninguém
Não caia em papos de aranha.
 
Entre as mulheres, bendito é o fruto
Que participa desta disputa
Só deves votar esse ano
Se tiveres certeza absoluta
De que estarás votando certo
E não mais uma vez num esperto
Que não passa de um filho da fruta
 
Do vosso ventre, Jesus
Tem candidato pra chuchu
Com eles vem um exército
De sanguessuga e urubu
Fazem dos cargos poleiros
E como bichos carpinteiros
Deixam o eleitor jururu.
 
Santa Maria, mãe de Deus
O político não tem mais jeito
Pelo povo e para o povo
Não sobrou nem o respeito
E para não perder a teta
Fazem pacto com o capeta
Pra na urna ser eleito.
 
Rogai por nós, pecadores
Que pagamos todos os pecados
Sofrendo na mão de político
Aproveitador e desnaturado
Que engabela o eleitor
Dizendo que do pobre ser provedor
Mandando aquele papo manjado.
 
Agora e na hora de nossa morte
Vão dizer que são bacanas
Abraçando o pobre eleitor
Pra ganhar uma boa grana
Cansado de pagar tributos
De saco cheio anda puto
De ver tanto político sacana.
 
Só rezando uma Ave Maria
E apelando pras forças do além
Que vamos conseguir votar
Em quem é gente do bem
Pois está lançada a sorte
É hora de dar um corte
E pros fariseus não dizer amém.



Publicado em 28/05/2020 - por Beltrano

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg