Editorial - Edição 727

 

A sociedade pirou

 

Que o Brasil vive um momento social crítico, todo mundo sabe. Mas é bom admitir que Palhoça também vive esse momento. A sociedade pirou. Eu disse: a sociedade pirou; não só os políticos e os órgãos públicos piraram. Aquele que mais pode tenta levar vantagem em tudo: no trânsito, no atendimento à saúde, na educação... Sabe como é, né: “Farinha pouca, meu pirão primeiro”.

Vivemos um momento de transição, pois teremos eleições municipais este ano e pelas redes sociais se estabeleceu uma guerra entre os que estão no poder e os que querem pegá-lo. Mas é bom lembrar que não vão ser estes 9% ou 10% que se manifestam pelas redes sociais que vão decidir nas urnas o destino político do município; quem vai decidir essa peleja são os mais de 90% dos eleitores que aqui votam, mas sequer conhecem o nome do atual prefeito de Palhoça ou o nome do governador de Santa Catarina, o que dirá quais os candidatos a prefeito e a vereador que serão apoiados por eles.

Sendo assim, uma verdadeira guerra começou a ser travada: os opositores “vendem” que tudo que acontece de ruim em Palhoça é culpa da atual administração, mentem descaradamente, fazendo crer que, se assumirem a Prefeitura, Palhoça terá, como em um passe de mágica: educação, saúde, segurança, mobilidade urbana, etc. Assim, como por milagre. Mentira deslavada, mesmo porque não sabem patavina nenhuma de administração municipal. Por outro lado, aqueles que estão na “situação” se consideram deuses e donos da verdade pelo que estão fazendo, sem dar as devidas explicações do que poderiam fazer a mais ou diferente, principalmente nas áreas mais prioritárias e que a população mais necessita, como educação, saúde e assistência social.

Que tivemos avanços em várias áreas é inegável, embora a oposição burra não admita e veja só retrocesso. Mas a situação também precisa admitir que temos problemas sociais que não se resolvem só com as louváveis pavimentações de ruas e construções de praças. São necessárias, sim, mas precisamos também de obras humanas para resolver o grande fluxo de pedintes pela cidade; de mais escolas para atender à demanda, de creche e de salas de aula para atender nossas crianças; precisamos de uma melhor saúde, não só de postos de saúde com pouca serventia, pois muitos deles nem médicos têm; precisamos de uma assistência social que não fique assistindo à fome roncando em barrigas alheias por aí; precisamos que a cidadania das pessoas não continue indo para as cucuias e sendo trocada por voto e favores a cada eleição! 

Palhoça não precisa daqueles que vivem se alfinetando pelas redes sociais, Palhoça precisa de quem não sabe o que é isso e espera respeito e uma oportunidade para ajudar a mudar a nossa PALHOÇA sendo verdadeiro CIDADÃO, com seus deveres e direitos!

Por isso, lançamos aqui um desafio: PROCURA-SE UM CANDIDATO A PREFEITO, seja ele da situação ou oposição, direita ou esquerda, que pense diferente, que pense como a maioria de nossa gente.



Publicado em 20/02/2020 - por Palhocense

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif