cea913637f9993044e2d593d2c8c58a5.jpeg Professor de Ecologia e Oceanologia aborda exploração de petróleo

31912c67f113f2bc58ba76fe5f16f0c1.jpeg Por meio do Governo do Estado, Epagri Ciram realiza ações de apoio à pesca

05869665556f62f815b6c2a9f54623e6.jpeg Professores e alunos da Ponte do Imaruim reclamam de horários do transporte coletivo

2a46e516208184553913a41ae23578e0.jpeg Através de campanha solidária, evento de Dia das Crianças deve ocorrer no São Sebastião

124a5fd64c0300628c002b6987790ece.jpeg Acusado de matar pelo menos 15 pessoas é preso na Ponte do Imaruim

5e23d8c4a62a022f340e9d6aa9d81f61.jpeg PBec Brasil completa 11 anos de história no futebol palhocense

e228afe0fbb6efb4982272fb3b076d56.jpeg Tocha se destaca em reestreia do Campeonato Paranaense de BMX

72f487649eea6e06499c8aad717c7939.jpg Rodada do Campeonato Palhocense de Juniores é cancelada por suspeita de Covid-19

fb7c595c0003a6d5a1d67ae4342a585b.jpeg Apostando em jovens talentos, Guarani encerra Série B em quinto lugar

5d4a40de45338ded326da1392547a49a.jpeg Paratleta de Palhoça é homenageada por participação em Tóquio


Arte criada em Palhoça homenageia Anita Garibaldi

No Sítio das Artes Maci, Jean Rodrigues e Cristina Giralt esculpiram monumento erguido em Imbituba

a948dd2210973ecfd7aaf9bbde57232c.jpeg Foto: ARQUIVO PESSOAL

Os artistas plásticos radicados em Palhoça Jean Rodrigues e Cristina Giralt foram contratados para participar do projeto “Uma Rosa para Anita”, em Imbituba, celebrando os 180 anos de batalha naval e batismo de fogo de Anita Garibaldi.

Jean e Cristina construíram um monumento, que faz parte de uma série de comemorações pelo bicentenário do nascimento da heroína, que contará com homenagens no Brasil, no Uruguai e na Itália. A obra, erguida em Imbituba, foi produzida pelos artistas no Sítio das Artes Maci, no Maciambu Pequeno. “No início, eles tinham uma ideia, mas a gente ajudou a melhorar a ideia, a composição”, conta Jean. Os artistas optaram por uma composição com três peças, com a escultura representando Anita ladeada por dois canhões, todas feitas de resina, com pátina em bronze. Ninguém diz que o canhão não é de verdade. “Produzimos do zero, mesmo. A gente fez um tratamento para que pareça metal. Primeiro, fizemos todo um trabalho de pesquisa, fomos no forte, tiramos as medidas dos canhões, fizemos a escala, vimos a textura do aço e como chegaríamos naquele resultado. É todo um trabalho de pesquisa, não só dos canhões, mas também da figura da Anita. É um trabalho elaborado, demorado”, relata Jean, que levou 40 dias para concluir a obra.

“Ficou num lugar muito lindo, de frente para o mar”, comemora. “Para nós, foi uma honra imensa poder representar esta que foi uma heroína de dois mundos, que está no imaginário nacional, e é uma satisfação poder levar o nome de nossa cidade para outros lugares. Acredito que um governo que investe em estrutura cuida do corpo da cidade, e um governo que investe em cultura, cuida da alma da cidade, e os dois são essenciais”, reflete Jean.

O artista plástico diz que espera, um dia, poder fazer uma obra semelhante em Palhoça, cidade onde escolheu viver.

Jean aproveita para informar que, para o ano que vem, está preparando uma série de novidades no Sítio das Artes Maci (saiba mais no canal do YouTube e na página no Facebook: sitio das artes maci).



Galeria de fotos: 3 fotos
Créditos: ARQUIVO PESSOAL ARQUIVO PESSOAL ARQUIVO PESSOAL
Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg