f8cd4f6b92c2fc70f0e82ac7e1a42880.jpg Vacinação em SC: estado ultrapassa 5 milhões de pessoas com esquema vacinal completo

1069b9477a3a0d2f867498dc62b62e0e.jpeg Campanha quer melhorar autoestima de mulheres em situação de vulnerabilidade

5f9a9fdb32314194b4a64723f76fca64.jpeg Membros da comunidade se mobilizam para preservar vegetação na Pedra do Urubu

de47197475943f65b8890285981920fa.PNG Inspirada por Nelson Rodrigues, escritora de Palhoça lança livro de contos

c64875ae6408469efef36af9aa564775.jpeg ViaCatarina recebe mais uma edição da Feira do Artesanato

9570bba7c4646e5c724a73492d325f77.jpeg Produzido em Palhoça, EP de estreia de Yaju está disponível nas principais plataformas digitais

d6d50a1ca4d89a2580356c2c407d6130.jpeg Atletas da FMEC conquistam medalhas no Brasileiro de taekwondo

27e11cacd416c88131ac3f88f6e81065.jpg Copa do Mundo de Amadores contará com dois times de Palhoça

06dcb5028c047a5c6a4971990792762d.jpeg Halterofilismo: Rogério Anderle é campeão no Sul-Brasileiro 2021

b056d29d794b5e1bd70c65f106382a3b.jpg Governador Carlos Moisés abre a 60ª edição dos Jasc e destaca investimentos históricos no esporte

Com volume recorde, chuva provoca estragos em Palhoça

Foram registradas dezenas de ocorrências de alagamentos e danos provocados pela maior chuva dos últimos 14 anos. Prefeitura decretou estado de emergência

e908c7af34aeb9cedf84ab2b7c751478.jpeg Foto: Reprodução redes sociais jornal Palhocense

Com volume recorde, chuva provoca estragos em Palhoça 
Por: Willian Schütz*

Não foi à toa que Palhoça registrou tantas situações de alagamento e deslizamento de terra com a chuva deste início de semana. A Defesa Civil registrou um volume de 210 milímetros em um espaço de 24 horas; o maior volume registrado nos últimos 14 anos. Munícipes e autoridades locais têm estado em alerta para novas ocorrências e para lidar com os danos já provocados pela enxurrada.

Em razão dos efeitos da chuvarada, o prefeito Eduardo Freccia declarou situação de emergência em Palhoça, na terça-feira (12), ao assinar o Decreto 2.894. A medida tem o objetivo de restabelecer a ordem e a segurança e preservar a vida das famílias atingidas.

Segundo Freccia, cerca de 10 bairros foram afetados. O decreto que determina estado de emergência é “uma forma de dar uma resposta mais rápida para a população e sanar os problemas causados”, relatou o prefeito, em entrevista ao programa “Guarujá 11h”, apresentado pelo radialista Baby Espíndola, na rádio Guarujá. “Abrimos uma sala de situação que envolve Defesa Civil, Secretaria de Segurança, Secretaria de Serviços Públicos, de Infraestrutura… É uma série de pessoas envolvidas. Estamos com toda a equipe na rua. Desde ontem (12), trabalhamos mais de 24 horas seguidas prestando esse apoio, sempre que solicitado”, ressaltou o prefeito Eduardo, durante a entrevista. “Infelizmente, tivemos, nos últimos três dias, um volume muito grande de chuva no município de Palhoça. Foram mais de 200 milímetros de chuva, o que, para se ter noção, é mais do que três vezes o esperado para todo o mês de outubro”, concluiu Freccia.

Segundo dados da Defesa Civil, o grande volume de chuva atingiu cerca de 45 casas no município, além das ocorrências de deslizamentos e outros danos estruturais. Isso até a tarde da última terça-feira (12). Porém, de acordo com o prefeito Eduardo, nenhuma família ficou desabrigada.

Conforme a Prefeitura, os agentes públicos vêm tentando restabelecer o acesso da população em algumas localidades diretamente afetadas pela chuva. No Albardão, a Secretaria de Serviços Públicos atuou para ajudar a comunidade, que ficou ilhada com a queda de uma cabeceira de ponte. E no Morro do Gato, a queda de uma barreira também exigiu um árduo trabalho de remoção do material que estava impedindo a livre circulação no sistema viário. “Nestes locais, o trânsito já está liberado. Estamos trabalhando para melhorar e reforçar as cabeceiras naquela ponte e na barreira também. Também liberamos mais um acesso na tarde desta quarta-feira (13), entre a Guarda do Cubatão e Santo Amaro da Imperatriz”, informa o secretário de Serviços Públicos, Edson Ghizoni.

Alvair Zunino, morador do Madri, registrou um deslizamento de terra em uma das cabeceiras da ponte que dá acesso ao Parque do Madri. Por conta disso, a Defesa Civil interditou a passagem de veículos pela ponte, como forma de precaução. A Prefeitura aguarda uma análise mais apurada da equipe técnica de engenheiros para averiguar se há algum problema com a estrutura da ponte. Até o fechamento desta reportagem, o local seguia interditado. 

Algumas das ocorrências envolvendo danos estruturais foram registradas no Alto Aririú, onde ocorreu a queda de um muro; na Guarda do Cubatão, houve um deslizamento de terra.

Já no Centro, uma das principais avenidas da cidade, a Barão do Rio Branco, ficou alagada durante parte do feriado. Também houve grande número de registros na Pedra Branca, na Ponte do Imaruim e no Pagani.

Ainda na terça-feira (12), uma moradora da rua Osni Kuhnen, no Alto Aririú, registrou um alagamento na região onde há obras do Contorno Viário da Grande Florianópolis. Segundo ela, um córrego foi tubulado pela empreiteira e o problema já teria sido alertado aos profissionais. 

Porém, a Camargo Corrêa Infra, empresa responsável por trechos das obras do Contorno Viário de Florianópolis, afirma em nota que “a inundação registrada por alguns moradores do bairro Alto Aririú não tem relação com a construção de uma galeria pela construtora”.


Meteorologista comenta as condições climáticas

De acordo com o meteorologista Marcelo Martins, da Epagri/Ciram, “quando chove, em dois ou três dias, um volume de chuva que é previsto para um mês inteiro, acaba havendo alagamentos, inundações, os rios desencalham, têm deslizamentos”. 

Ainda segundo o especialista, as chuvas que ocorreram desde o último final de semana são ocasionadas por um fenômeno climático chamado “lestada”, que acontece quando um centro de alta pressão no oceano, nas proximidades da costa, provoca ventos de leste a nordeste, que mandam umidade do mar para toda a região litorânea.

“Apesar dos períodos de trégua, agora, o que é muito bom também, temos um indicativo de chuvas para os próximos dias, mas o pior já passou. Serão chuvas que não terão o mesmo volume dos últimos dias, o que diminui o risco de deslizamentos”, pontua Marcelo Martins. 

Já a partir desta quinta-feira (14), uma frente fria deve chegar ao litoral catarinense. As temperaturas devem ficar mais baixas, na faixa dos 17ºC até domingo (17). Ao longo desses dias, devem cair pancadas de chuva, intercaladas com períodos de sol entre nuvens.  

Em casos de emergência, é indicado acionar a Defesa Civil, pelo número de telefone 199, ou o Corpo de Bombeiros, discando 193. 

* Sob a supervisão de Alexandre Bonfim

 

Quer participar do grupo de WhatsApp do Palhocense?

Clique no link de acesso!



Galeria de fotos: 5 fotos
Créditos: Reprodução redes sociais jornal Palhocense Reprodução redes sociais jornal Palhocense Reprodução redes sociais jornal Palhocense Reprodução redes sociais jornal Palhocense Reprodução redes sociais jornal Palhocense
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg