Músicos fazem live para pedir apoio da Prefeitura

O objetivo é pressionar o prefeito Camilo Martins a aprovar um projeto de lei para auxiliar a classe artística; o show vai acontecer no sábado (4), através das redes sociais

4a0643c183648dcfc991ea311a3c2f9c.jpeg Foto: REPRODUÇÃO

Por: Sofia Mayer*

 

A pandemia tem trazido desafios para todos os lados, mas a classe artística de Palhoça parece estar enfrentando alguns obstáculos a mais. Como o setor foi o primeiro a suspender as atividades com a pandemia da Covid-19, e possivelmente será o último a retomar os trabalhos de forma integral, músicos do município decidiram preparar uma grande live, intitulada de #OShowNãoPodeParar, com o intuito de cobrar atenção do Poder Público. A ideia é pressionar o Executivo a sancionar um projeto de lei que prevê a contratação de apresentações artísticas para serem transmitidas pelas redes sociais.

O projeto já foi aprovado pela Câmara de Vereadores de Palhoça, e aguarda a assinatura do prefeito Camilo Martins (PSD). Se autorizada, a medida vai possibilitar que o Poder Executivo contrate serviços de artistas locais, com trabalho reconhecido na Fundação Municipal de Esporte e Cultura, para apresentações culturais que serão transmitidas via internet, de forma gratuita. De acordo com o texto, os eventos ainda deverão veicular materiais com mensagens educativas sobre a Covid-19, produzidos pela Secretaria da Saúde do município.

O show vai acontecer no sábado (4), às 18h, e terá a participação de seis artistas locais. De acordo com o músico Adriano Athayde, serão aproximadamente duas horas de músicas gaúchas, sertanejas e canções pop. Tudo sem fins lucrativos. “A live é coletiva, com músicos de Palhoça que querem que o prefeito Camilo assine logo a lei aprovada já pela Câmara de Vereadores, que autoriza a Prefeitura a patrocinar nossas lives”, explica. 

O artista lembra que, entre músicos, produtores e staffs, as bandas do município são responsáveis por empregar dezenas de profissionais, que estão sem trabalho desde março, período em que o novo coronavírus chegou a terras catarinenses. “Só aí (na live) tem uma galera que emprega 100 pessoas diretamente”, estima. Dentre esses profissionais, há pessoas que estão, inclusive, passando fome. “Se a gente tivesse apoio da Prefeitura, como a lei possibilita, com certeza a realidade seria diferente. Por pouco que seja, com esse patrocínio, a gente conseguiria estar gerando algum recurso”, argumenta.

Outro argumento seria o de que os profissionais envolvidos no setor cultural de Palhoça são grandes responsáveis por movimentar a economia do município. “Muitos viajam para fora para fazer shows, e onde investem é aqui. Tenho minha casa aqui, tenho meu estúdio. Se a gente quer comprar um carro, a gente compra aqui. A gente valoriza o município. Só que a gente quer que, neste momento, o prefeito olhe para nós”, comenta Athayde.

 

Pedido na Câmara

O vereador Jean Henrique Dias Carneiro (Jean Negão, Patriota), responsável pela proposta, explica que o direito ao exercício das atividades laborais é constitucional, e que a Prefeitura tem o dever de apresentar propostas que possibilitem que artistas palhocenses gerem o próprio sustento durante a pandemia da Covid-19. “É um segmento social que o Poder Público tem que ajudar. Da mesma forma que o município comprou cestas básicas para dar a pessoas que tinham necessidade, os músicos também têm necessidades”, compara o vereador.

Jean Negão ressalta que existe dinheiro público destinado a essas atividades, e que deve ser utilizado para minimizar os efeitos da crise: “A única coisa que vai mudar é que, ao invés de ser uma apresentação in loco, vai ser virtual. Eles vão trabalhar uma hora e meia para o município, vão cantar, vão interagir com as pessoas”.

Além disso, com a possibilidade de entretenimento remoto, as medidas ajudariam a manter os munícipes em casa, evitando a propagação do novo coronavírus. “Ainda, esses profissionais poderiam promover anúncios institucionais do Poder Público”, comenta.

A ideia do vereador é proporcionar um cachê justo, proporcional à quantidade de pessoas envolvidas em cada equipe. Embora acredite que o projeto tem caráter paliativo, ele avalia que as medidas devem minimizar os danos que a classe vem sofrendo. “Além disso, é uma maneira do município reconhecer a necessidade de preservação do artista local, do promotor da cultura, da cultura de Palhoça”, destaca.

 

Transmissão  

A live será transmitida no sábado (4), às 18h, através da página de Adriano Athayde no Facebook. Elton (G. Fronteiras), Rey (Mayk e Rey), Rony (Rony e Ravel), Nenen (Os Baileiros), Adriano Athayde e Fabiano Dutra serão os responsáveis por embalar o evento. Para assistir, basta acessar este link.


* Sob a supervisão de Luciano Smanioto

 

 

Quer participar do grupo do Palhocense no WhatsApp?
Clique no link de acesso!
 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg