f8cd4f6b92c2fc70f0e82ac7e1a42880.jpg Vacinação em SC: estado ultrapassa 5 milhões de pessoas com esquema vacinal completo

1069b9477a3a0d2f867498dc62b62e0e.jpeg Campanha quer melhorar autoestima de mulheres em situação de vulnerabilidade

5f9a9fdb32314194b4a64723f76fca64.jpeg Membros da comunidade se mobilizam para preservar vegetação na Pedra do Urubu

de47197475943f65b8890285981920fa.PNG Inspirada por Nelson Rodrigues, escritora de Palhoça lança livro de contos

c64875ae6408469efef36af9aa564775.jpeg ViaCatarina recebe mais uma edição da Feira do Artesanato

9570bba7c4646e5c724a73492d325f77.jpeg Produzido em Palhoça, EP de estreia de Yaju está disponível nas principais plataformas digitais

d6d50a1ca4d89a2580356c2c407d6130.jpeg Atletas da FMEC conquistam medalhas no Brasileiro de taekwondo

27e11cacd416c88131ac3f88f6e81065.jpg Copa do Mundo de Amadores contará com dois times de Palhoça

06dcb5028c047a5c6a4971990792762d.jpeg Halterofilismo: Rogério Anderle é campeão no Sul-Brasileiro 2021

b056d29d794b5e1bd70c65f106382a3b.jpg Governador Carlos Moisés abre a 60ª edição dos Jasc e destaca investimentos históricos no esporte

Nettão Silva é bronze no Mundial

Competição foi disputada em em São Paulo

ae6730183a06a626b9f2c878eafc4641.jpg Foto: DIVULGAÇÃO

O faixa preta palhocense Nettão Silva conquistou o bronze no Mundial de Jiu-Jitsu Esportivo, disputado entre os dias 25 e 28 de julho, no Complexo Esportivo Ibirapuera, em São Paulo.

Nettão e o pupilo Marcus Luz representaram a academia Rilion Gracie, do Passa Vinte, na competição internacional, chancelada pela Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Esportivo. “O resultado não foi o que a gente esperava, porque eu queria o primeiro lugar. Tu pode ver pelas medalhas aqui na parede que eu sou um cara que persisto bastante, mas já valeu, porque Mundial é nível hard mesmo”, comenta Nettão, que competiu na categoria master 4 (até 48 anos), até 88kg. 

De fato, uma parede da academia é decorada com inúmeras medalhas, um relicário que ajuda a contar uma trajetória de 26 anos no jiu-jitsu. E é em nome dessa trajetória que ele segue competindo - e se cuidando, com preparação física e técnica, todos os anos. Talvez, se a competição em São Paulo tivesse as mesmas regras do jiu-jitsu tradicional, o resultado poderia ter sido melhor. Mas o jiu-jitsu esportivo é ligeiramente diferente. “Perdi a segunda luta por arbitragem. Se a competição fosse pela CBJJ, não teria perdido”, avalia Nettão, que é natural de Palhoça, “nascido e criado” no loteamento Probst, no Centro.

Na academia que mantém no Passa Vinte, Nettão atende 125 alunos, sendo que 39 são crianças, entre três e 12 anos. Ele também ensina todos os caminhos da arte suave para a “velha guarda” - tem aluno com mais de 60 anos. Prestes a completar 48 anos, Nettão dá aulas todos os dias. Dedicação reconhecida pelo “patrono” da equipe, Rilion Gracie, um dos representantes da mais famosa família do jiu-jitsu brasileiro, que ele conheceu nos anos 1990. “Meu sonho era treinar com os Gracie”, relembra.
Além de ensinar o jiu-jitsu, Nettão gosta de entrar no tatame para competir. De preferência, ao lado dos pupilos. Como neste Mundial, onde esteve ao lado do faixa preta Marcus Luz. Marquinhos, renomado professor de boxe, competiu na categoria master 4, até 94kg. “Marquinhos lutou mais do que o adversário dele”, comenta Nettão. 
Os dois devem voltar a competir juntos no Floripa Winter International Open IBJJF Jiu-Jitsu Championship, dias 10 e 11 de agosto, em Florianópolis.



Galeria de fotos: 2 fotos
Créditos: DIVULGAÇÃO DIVULGAÇÃO
Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg