cea913637f9993044e2d593d2c8c58a5.jpeg Professor de Ecologia e Oceanologia aborda exploração de petróleo

31912c67f113f2bc58ba76fe5f16f0c1.jpeg Por meio do Governo do Estado, Epagri Ciram realiza ações de apoio à pesca

05869665556f62f815b6c2a9f54623e6.jpeg Professores e alunos da Ponte do Imaruim reclamam de horários do transporte coletivo

2a46e516208184553913a41ae23578e0.jpeg Através de campanha solidária, evento de Dia das Crianças deve ocorrer no São Sebastião

124a5fd64c0300628c002b6987790ece.jpeg Acusado de matar pelo menos 15 pessoas é preso na Ponte do Imaruim

5e23d8c4a62a022f340e9d6aa9d81f61.jpeg PBec Brasil completa 11 anos de história no futebol palhocense

e228afe0fbb6efb4982272fb3b076d56.jpeg Tocha se destaca em reestreia do Campeonato Paranaense de BMX

72f487649eea6e06499c8aad717c7939.jpg Rodada do Campeonato Palhocense de Juniores é cancelada por suspeita de Covid-19

fb7c595c0003a6d5a1d67ae4342a585b.jpeg Apostando em jovens talentos, Guarani encerra Série B em quinto lugar

5d4a40de45338ded326da1392547a49a.jpeg Paratleta de Palhoça é homenageada por participação em Tóquio


PH terá Central de Penas e Medidas Alternativas

Unidade será instalada junto ao Fórum, com o objetivo de implementar ações conjuntas para a aplicação de punições alternativas à prisão

5b2c265a4c71c4cf3b0036fd225461f7.jpg Foto: REPRODUÇÃO/INTERNET

Por: Sofia Mayer*

 

Uma Central de Penas e Medidas Alternativas (CPMA) será inaugurada em Palhoça, de acordo o Poder Judiciário de Santa Catarina (PJ/SC). O programa, firmado pela instituição, em convênio com o Ministério Público de Santa Catarina (MP/SC) e a Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa (SAP), terá como objetivo a implementação de ações conjuntas para a aplicação de punições alternativas à prisão, como a prestação de serviços à comunidade e adesão de medidas educativas. A unidade será instalada nas dependências do Fórum da Comarca, no Pagani. Ainda não há data para o início dos trabalhos.

Embora as CPMAs já existam desde 2010, o novo convênio pretende ampliar os serviços oferecidos, que acontecem a partir de suportes psicossociais. “O trabalho visa ao acolhimento, ao acompanhamento e à garantia de acesso a direitos”, expõe Renata de Souza, gerente de Penas Alternativas e Apoio ao Egresso da SAP. De acordo com ela, assistentes sociais e psicólogos farão os atendimentos e encaminhamentos específicos, conforme as necessidades individuais dos beneficiários. Pessoas submetidas à audiência de custódia, em cumprimento de pena e medida alternativa ou em regime aberto e ao egresso do sistema prisional serão contempladas pelo programa.

As medidas alternativas serão determinadas pelo juiz responsável, enquanto os profissionais da CPMA devem acompanhar e fiscalizar o cumprimento das ações. “Ele (o beneficiário) tem o compromisso de levar (ao juiz), mensalmente, a ficha de horas, que é preenchida pela instituição a qual ele é encaminhado”, esclarece Renata.

 

Equipe especializada

A equipe técnica contará com assistência especializada de dois psicólogos, dois assistentes sociais e um técnico administrativo. Um dos focos do programa é promover a inclusão social dos beneficiários, prevenindo que voltem ao contexto de criminalidade. “A Política de Alternativas Penais surge da necessidade de fazer frente ao encarceramento, tendo por princípio uma intervenção penal mínima, desencarceradora e restaurativa, focando na responsabilização e ressignificação”, explica.

A gerente conta que o atendimento direcionado é um passo importante para entender os diagnósticos apresentados e tratar cada caso conforme o seu grau de complexidade: “Sabemos que parte significativa das pessoas que chegam aos serviços de acompanhamento de alternativas penais apresentam vulnerabilidades sociais por falta de acesso a direitos fundamentais e políticas públicas”. Segundo ela, as ações visam, sobretudo, à manutenção e à recuperação do vínculo do beneficiário com a comunidade, tendo em vista que a punição acontece sem afastá-lo da convivência social e familiar.

 

Unidade em Palhoça

Sem trabalhos presenciais do PJ/SC acontecendo, em função da pandemia do novo coronavírus, ainda não há data para o início das atividades da CPMA no município. “Nós estamos trabalhando para realizar o quanto antes um processo seletivo para a contração da equipe psicossocial, que realizará este trabalho na Central de Penas e Medidas Alternativas”, informa a gerente. 

Além de Palhoça, o programa será lançado em Jaraguá do Sul e Lages. Oito unidades já estão ativas em território catarinense.

O município já comporta uma Colônia Penal Agrícola, no bairro Bela Vista, que também é de competência da SAP.

 

* Sob a supervisão de Luciano Smanioto

 

Quer participar do grupo do Palhocense no WhatsApp?
Clique no link de acesso!
 

 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg