cea913637f9993044e2d593d2c8c58a5.jpeg Professor de Ecologia e Oceanologia aborda exploração de petróleo

31912c67f113f2bc58ba76fe5f16f0c1.jpeg Por meio do Governo do Estado, Epagri Ciram realiza ações de apoio à pesca

05869665556f62f815b6c2a9f54623e6.jpeg Professores e alunos da Ponte do Imaruim reclamam de horários do transporte coletivo

2a46e516208184553913a41ae23578e0.jpeg Através de campanha solidária, evento de Dia das Crianças deve ocorrer no São Sebastião

124a5fd64c0300628c002b6987790ece.jpeg Acusado de matar pelo menos 15 pessoas é preso na Ponte do Imaruim

5e23d8c4a62a022f340e9d6aa9d81f61.jpeg PBec Brasil completa 11 anos de história no futebol palhocense

e228afe0fbb6efb4982272fb3b076d56.jpeg Tocha se destaca em reestreia do Campeonato Paranaense de BMX

72f487649eea6e06499c8aad717c7939.jpg Rodada do Campeonato Palhocense de Juniores é cancelada por suspeita de Covid-19

fb7c595c0003a6d5a1d67ae4342a585b.jpeg Apostando em jovens talentos, Guarani encerra Série B em quinto lugar

5d4a40de45338ded326da1392547a49a.jpeg Paratleta de Palhoça é homenageada por participação em Tóquio


Palhoça estuda inclusão do paradesporto no projeto Palhoça Esportiva

Cinco professores estão trabalhando na formatação do programa paradesportivo

9a06ee36e86b51536d1974c33f82a385.jpg Foto: DIVULGAÇÃO/PMP

Contagiada pelo espírito paralímpico, a Fundação Municipal de Esporte e Cultura (FMEC) está estudando a possibilidade de incluir o paradesporto no programa Palhoça Esportiva.
 
A Paralimpíada de Tóquio encerrou neste domingo (5), com mais uma participação notável do Time Brasil. Os paratletas brasileiros conquistaram 72 medalhas e terminaram a competição na sétima colocação, com recorde de ouros e feitos inéditos para o país.
 
Entre os paratletas que representaram o Brasil nos Jogos de Tóquio, estava a corredora Edilene Teixeira Boaventura, que mora no Aririú e é deficiente visual. Ela disputou a maratona e fechou a prova na sétima posição.
 
Além de Edilene, a cidade tem outros paratletas disputando competições em nível nacional e até internacional, como José Raul Schoeller Guenther. O morador do Bela Vista faz parte da Seleção Brasileira de rugby em cadeiras de rodas, que não se classificou para Tóquio, mas já está de olho em Paris, em 2024.

São muitos os exemplos de vida, de superação e de dedicação ao paradesporto que encontramos em Palhoça. A FMEC quer ajudar a desenvolver esses talentos e a ampliar o leque de paratletas competitivos no município.

Para isso, cinco professores que já fazem parte do programa Palhoça Esportiva estão elaborando um projeto para viabilizar as atividades paradesportivas no município, com o apoio da fundação. "É emocionante acompanhar o desempenho dos nossos paratletas. A Paralimpíada de Tóquio teve um nível altíssimo de competitividade e mais uma vez revelou ao mundo exemplos e histórias de vida que merecem ser acompanhados e aplaudidos, e que servem de referência para todos nós, que temos nossos sonhos e podemos alcançá-los com dedicação e esforço. Nós já vínhamos amadurecendo essa ideia dentro da Fundação Municipal de Esporte e Cultura e chegou a hora de estruturar um projeto bem desenhado, que seja inclusivo e ao mesmo tempo estimule a competição", expressa o presidente da FMEC, José Virgílio Junior (Secco).

 

Quer participar do grupo de WhatsApp do Palhocense?

Clique no link de acesso!



Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg