Covid-19: moradores do Frei Damião querem testes

Cerca de 120 pessoas se reuniram em manifestação, nesta terça-feira (26)

9f8d38b87328158b080c6bb8bf9cbe42.JPG Foto: VLADIMIR RIBEIRO/DIVULGAÇÃO

Cerca de 120 moradores do Frei Damião, Brejaru e Jardim Eldorado participaram de uma manifestação na tarde desta terça-feira (26), pedindo maior atenção do Poder Público com relação à proliferação do novo coronavírus nessas comunidades.

Segurando uma grande faixa, em que se lia “Não ao genocídio”, “Testes já” e “Nossas vidas Importam”, eles saíram da pracinha do Brejaru, percorreram a avenida Nossa Senhora da Conceição e fizeram uma parada estratégica nas proximidades do terminal de ônibus da Jotur, na Ponte do Imaruim, antes de retomar a marcha no caminho de volta para a comunidade. “A gente está reivindicando melhorias pela saúde na Palhoça”, comentou um dos manifestantes. A preocupação é que, sem uma testagem em massa nos mais de 12 mil moradores da comunidade, a doença se espalhe de uma forma descontrolada. “Daqui a pouco, vamos estar igual Manaus e outros estados se não frear essa situação”, comparou.

Para o presidente da Associação de Moradores do Frei Damião, Vladimir Borges Ribeiro, o Poder Público precisa olhar com mais atenção à comunidade, especialmente com relação às famílias que possuem pessoas já infectadas ou com suspeita de infecção com o novo coronavírus. “Estamos mantendo as famílias, com cestas básicas, álcool em gel, máscara, luva, produto de limpeza e higiene pessoal, porque eles estão todos isolados dentro de casa”, revela Vladimir. “Estamos mantendo o isolamento dessas famílias. O único acompanhamento que tem da Secretaria de Saúde e da Prefeitura de Palhoça é uma ligação, uma vez por dia: como vai monitorar essa família, como vai saber se ela está mantendo a quarentena ou não? E a gente ainda tem os assintomáticos no convívio com essas famílias que não foram testados, e a gente quer que esses testes sejam feitos”, diz o presidente.

A associação de moradores montou uma base operacional para ajudar a comunidade. Já foram distribuídas 1.870 cestas básicas e mais de 3 mil máscaras; nesta quinta-feira (28), mais 2 mil máscaras serão distribuídas. Vladimir diz que os mantimentos chegam através de doações e do trabalho de organizações não governamentais. A Prefeitura garante que já distribuiu mais de mil cestas básicas só na região do Frei Damião – no total, cerca de 10 mil cestas básicas já foram entregues para famílias em vulnerabilidade social no município todo; máscaras também foram doadas junto com as cestas básicas.

Com relação à testagem, a Prefeitura informa que 15 pessoas foram testadas no Frei Damião: uma pessoa ainda aguarda o resultado e em outras três foi confirmada a presença do novo coronavírus; todas já saíram do período de transmissão, segundo a Prefeitura. Os familiares dos casos confirmados também foram testados, assegura a Secretaria da Saúde. Mas os moradores querem mais testes. “As comunidades carentes hoje são as mais atingidas”, diz Vladimir. “Para se tornar uma pandemia local comunitária é dois toques. Por isso que estamos reivindicando testes de Covid-19 já e assistência às famílias infectadas dentro da comunidade carente”, finaliza o presidente da associação de moradores.

A Prefeitura garante que todos os pacientes sintomáticos respiratórios que buscam atendimento nas unidades de saúde ou pela central de atendimento são testados, assim como os familiares dos casos positivados; posteriormente, a Vigilância Epidemiológica acompanha os casos. Além disso, a Secretaria de Educação entregou 354 kits de alimentação para as famílias de estudantes da rede municipal de ensino, e a Secretaria de Assistência Social segue distribuindo cestas básicas para as pessoas que fazem a solicitação. Para solicitar auxílio, ligue para 3242-3202.

 

Quer participar do grupo do Palhocense no WhatsApp?
Clique no link de acesso!
 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg