Uma aula de cidadania no Ursulina

Dia Nacional da Consciência Negra foi celebrado em semana com atrações especiais

12d9b67d6ee31d7a7a6605a6af9a0bb3.jpeg Foto: DIVULGAÇÃO

O Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, teve uma semana especial com programações variadas na Escola Ursulina de Senna Castro, no Caminho Novo. Pelo segundo ano consecutivo, a instituição comemora forma bem elaborada, com o objetivo de trazer a alunos, professores e comunidade informações e esclarecimentos sobre a data. Neste ano, além da programação ter sido realizada durante toda a semana, a comunidade escolar ainda recebeu autoridades, personalidades importantes e ainda bandas e convidados que abrilhantaram ainda mais o evento. 
Foram promovidos bate-papos, gincanas, exposições, palestras, oficinas e apresentações voltadas para a conscientização e valorização da cultura afro-brasileira, juntando a realidade ao processo histórico da escravidão no país. "Ele já começou ano passado, depois que tivemos algumas situações de agressividade na escola. Foi a partir desse episódio que comemoramos o Dia da Consciência Negra de uma forma especial. O resultado foi muito positivo, tivemos uma melhora significativa na rotina dos nossos alunos e então neste ano fizemos a Semana da Consciência Negra. Começou na segunda-feira (20) e seguiu com atividades diferentes a cada dia da semana", explica Suzi Carly Cassettari, diretora geral da escola.
A abertura foi com apresentação de capoeira do próprio bairro. Na terça-feira (21), os alunos foram envolvidos em uma gincana com jogos africanos, liderada pela professora de Educação Física Laísa Cristina Pereira da Silva. Na quarta-feira (22), foram realizadas oficinas e confecção de cartazes. Na quinta-feira (23), a atividade foi sobre a musicalidade da capoeira. Para a professora de educação física, foi uma semana incrível para todos. "Minha mãe é coordenadora do movimento negro em Lages, então acredito que eu carrego isso desde pequena. Meu objetivo sempre foi dentro da escola implementar a Lei 10239/03, que trata sobre a obrigatoriedade do estudo da cultura africana e afro-brasileira dentro das escolas. Muitos só costumam relatar sobre a influência dos europeus, dos alemães, esquecendo muitas vezes de muitas questões africanas que não são faladas nas escolas. Meu objetivo foi trazer os jogos africanos para os alunos e foi muito bom, conseguimos envolver todos e eles receberam muito bem", relata a professora. "Tivemos muitas atividades e ainda nos apresentamos com nosso grupo de pagode aqui da escola, Kiblack. Eu adorei a ideia do colégio, com certeza animou a gente e também toda comunidade", elogia o aluno Andrey Alexandre, de 17 anos.
Na sexta-feira (24), a atividade foi realizada durante todo o dia. Teve shows com os grupos Iriê, Essência do Samba e Kiblack, uma iniciativa da própria escola com os alunos. A Ursulina recebeu a simpática vencedora do MasterChef Brasil, Michele Crispim; a ex-miss Santa Catarina Elisa Freitas; além de vereadores e do vice-prefeito de Palhoça, Amaro Júnior, entre outras autoridades. Além disso, todos ainda puderam saborear uma deliciosa feijoada servida ao meio-dia. 
Sentindo-se honrada de ser convidada a participar do evento, a exuberante miss Santa Catarina afirma a importância de um evento como esse e ainda relembra da sua época de estudante de escola pública, onde sofria preconceito por ser a única negra da escola. "Hoje me senti em casa, sempre estudei em escola pública. Cheguei a sofrer muito preconceito por ser a única aluna negra da escola e lembro que foi bem difícil na época. Hoje, poder voltar e ver essa mudança é muito importante. Infelizmente, o racismo ainda existe, ainda está muito presente, claro que mascarado de outras formas, mas o importante é que temos muita representatividade atualmente e isso tem feito a diferença", descreve.
Segundo a diretora, os alunos tiveram uma semana muito especial. Era possível confirmar a afirmação ao entrar na escola e observar o brilho no olhar de cada aluno. "Essa semana trouxe uma animação que contagiou todos nós, inclusive a comunidade. Gratidão é tudo que eu tenho para dizer. Fico até emocionada, pois sinto como os alunos e a comunidade me abraçaram, e como eu abracei cada um deles. Só posso dizer muito obrigada a todos que nos apoiaram nesse evento", agradece a diretora.
Animados, os alunos afirmaram ter tido uma das melhores programações do ano. "Essa semana foi maravilhosa, não é todo colégio que faz uma comemoração como essa que a gente fez e com certeza todo mundo gostou. Este ano, a gente se destacou e eu só posso agradecer, porque foi muito bom", agradece o aluno Douglas Silva, de 18 anos. 
Para João Vitor, de 17 anos, a semana foi bem produtiva. Os trabalhos incentivaram ainda mais a coletividade entre os alunos, um resultado que ele acredita ter sido muito importante para toda a escola. "A escola vem ficando bem unida ultimamente e com isso queremos sempre levar o nome da nossa escola para frente. Infelizmente, ainda temos muito racismo, precisamos superar isso, nos respeitar e fazer o racismo acabar", acredita o aluno, integrante Kiblack.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • d83a8831fba6952d386c6501dc64c0ab.jpg