cea913637f9993044e2d593d2c8c58a5.jpeg Professor de Ecologia e Oceanologia aborda exploração de petróleo

31912c67f113f2bc58ba76fe5f16f0c1.jpeg Por meio do Governo do Estado, Epagri Ciram realiza ações de apoio à pesca

05869665556f62f815b6c2a9f54623e6.jpeg Professores e alunos da Ponte do Imaruim reclamam de horários do transporte coletivo

2a46e516208184553913a41ae23578e0.jpeg Através de campanha solidária, evento de Dia das Crianças deve ocorrer no São Sebastião

124a5fd64c0300628c002b6987790ece.jpeg Acusado de matar pelo menos 15 pessoas é preso na Ponte do Imaruim

5e23d8c4a62a022f340e9d6aa9d81f61.jpeg PBec Brasil completa 11 anos de história no futebol palhocense

e228afe0fbb6efb4982272fb3b076d56.jpeg Tocha se destaca em reestreia do Campeonato Paranaense de BMX

72f487649eea6e06499c8aad717c7939.jpg Rodada do Campeonato Palhocense de Juniores é cancelada por suspeita de Covid-19

fb7c595c0003a6d5a1d67ae4342a585b.jpeg Apostando em jovens talentos, Guarani encerra Série B em quinto lugar

5d4a40de45338ded326da1392547a49a.jpeg Paratleta de Palhoça é homenageada por participação em Tóquio


Desafios da maternidade e realização de um sonho

A universitária que se tornou mamãe da pequena Chloe a apenas dois meses, está conhecendo os desafios e as maravilhas da maternidade enquanto estudo para se tornar uma profissional da psicologia

e503f37eadb49e86ee19915250677d50.jpg Foto: DIVULGAÇÃO

Aos 23 anos, Taynara Bonetti, aluna do curso de Psicologia da UniSul concilia os estudos, os treinamentos do triathlon, as atividades da casa, o casamento e os cuidados com a pequena Chloe

Quem nunca ouviu essa frase saindo da boca de uma mulher? Pode não ser fácil, mas quem disse que seria! Ou ser mulher é ter que enfrentar um leão por dia. Com a pandemia do coronavírus e as restrições de isolamento impostas pela OMS (Organização mundial da Saúde) como alternativa para controlar o contágio, as mulheres acumularam mais atividades, tendo até três jornadas. Essa rotina corrida atinge também as jovens mães como é o caso da estudante do curso de psicologia da UniSul, Taynara Bonetti, de 23 anos. A universitária que se tornou mamãe da pequena Chloe a apenas dois meses, está conhecendo os desafios e as maravilhas da maternidade enquanto estudo para se tornar uma profissional da psicologia.

“Quando descobri que estava gravida recebi o apoio dos meus familiares, dos amigos e do meu marido e isso foi extremamente importante, mesmo assim fiquei muito assustada. No entanto, é bom saber que você pode contar com alguém para te dar suporte desde o apoio funcional, alguém para dirigir até a obstetra, até o apoio emocional”, comenta Taynara.

Cursando o quinto semestre de psicologia na Unisul, Taynara também tem uma rotina de treinamentos de triathlon. Mesmo não delimitando muito os horários, a atleta diz que costuma estabelecer um período para ficar no celular e não se distrair durante o dia.

“Tenho uma rotina, mas não estipulo horário por conta da Chloe. Geralmente acordo às sete e fico com as tarefas domésticas pela manhã, intercalando com mamadas. No período da tarde realizo meus treinamentos de triathlon, com yoga e funcional. Fora que estipulo um horário para usar celular”.

A maternidade não é um obstáculo para a estudante, mesmo que não estivesse em seus planos ser mãe nesse momento. Apenas os treinos tiveram que ser adiados, mas, muito também por conta da pandemia, a jovem ressalta que a não teve que interromper seus planos, apenas, mudar a estratégia para alcançá-los. “Eu não pensava em ser mãe, pelo menos não agora. A faculdade eu continuo fazendo tudo de maneira remota, sobre os treinos dar uma parada foi benéfico. Em 16 anos, eu nunca parei de treinar, essa foi a primeira vez, e clareou muita coisa a respeito da minha vida”, ressalta.

Na mesma situação que a Taynara, existem milhares de mulheres no Brasil. De acordo com uma pesquisa do Ministério da Educação em conjunto com a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI) e a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), ser mãe e cursar uma graduação faz com que cerca de 18,1 das mulheres entre 18 e 29 anos abandonem os estudos no ensino superior.

“Nunca passou pela minha cabeça abandonar a graduação, mas, confesso que é desafiador. Eu cheguei a abrir a câmera para falar com a professora e a Chloe estava mamando. Como as aulas tem sido gravada, estou preferindo assisti-las em momentos que a Chloe está dormindo, assim consigo absorver o conteúdo” reforça. Taynara também destaca como a ajuda das colegas de curso tem sido importante “Tenho algumas colegas que tem me ajudado muito com as atividades e trabalhos, o que é incrível e empático. No meu caso realmente não me importei com o que pensariam sobre mim por ser mãe jovem. Acredito que o maior desafio tema sido mesmo conciliar com a faculdade, mas de resto só há pontos positivos”.

Começando a trilhar seu caminho a estudante reforça a importância dos estudos da maternidade, do esporte e de sua mãe na sua formação como pessoa “Sempre observei que minha mãe movia rios e montanhas por mim, recebeu tiros e flechas, e nunca deixou que algo me atingisse, mas ao mesmo tempo me apresentou para o mundo e me ensinou como devo me defender diante das circunstâncias da vida. Ela me inspira”.

A jovem reforça que as expectativas para o futuro são as melhores possíveis “Eu sou muito determinada e acredito que tudo acaba se encaixando de alguma forma e ajudando na minha formação como ser-humano”. Ela conta como se enxerga daqui a 10 anos “Com outro filho! Ser mãe é bom demais. Me vejo como uma psicóloga renomada, reconheço o quanto tenho me esforçado e sei que o resultado não será diferente do que venho me dedicando. Daqui a 10 anos, em resumo, me vejo no auge da minha vida. Por ora estou construindo outros lastros e lapidando algumas lascas”, finaliza

 

Quer participar do grupo de WhatsApp do Palhocense?

Clique no link de acesso!



Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg