Comércio atende determinações de decreto

Governador baixou decreto na noite de terça-feira (17) decretando situação de emergência em SC e determinando fechamento de estabelecimentos comerciais

d85cb22c28ef1a29f1f75ce979ce0ec9.jpg Foto: SECOM

O governador Carlos Moisés decretou situação de emergência em Santa Catarina na noite desta terça-feira (17), por conta da pandemia de coronavírus. Uma série de medidas restritivas, que será adotada pelos próximos sete dias, foi anunciada como uma forma de conter a proliferação do vírus no estado. Em Palhoça, o Shopping ViaCatarina atendeu à determinação de fechamento de portas por sete dias, assim como outros empresários, sob orientação da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

A decisão do governo do estado foi tomada após o primeiro registro de transmissão comunitária em território catarinense da Covid-19 - quando não é possível saber a origem da contaminação. Entre as ações está a suspensão do transporte coletivo urbano municipal, intermunicipal e interestadual de passageiros, além de proibição do funcionamento de comércio, academias e restaurantes.

Neste período, permanecerão abertos serviços considerados essenciais, como farmácias, supermercados, unidades de saúde, postos de combustível e distribuidoras de gás e água. Serão mantidos em funcionamento presencial em SC apenas os serviços públicos essenciais no âmbito municipal, estadual e federal. Todos os demais serão exercidos por meio digital ou remoto.

O decreto foi publicado em ediçãoe extraordinária do Diário Oficial do Estado na noite de terça (17) e terá validade a partir da publicação. Após os sete dias, será feita uma nova avaliação para verificar a necessidade de se manter as restrições. “Essa é uma medida restritiva difícil, mas necessária para que a gente tenha resultados positivos e consiga conter o avanço da doença, ao contrário do que aconteceu em outros países”, destacou o governador.

Diante deste novo quadro, ou seja, com a transmissão dentro do estado e sem se saber a origem, Santa Catarina passa de situação de perigo iminente (nível 2) para emergência em saúde pública (nível 3). “O melhor local para ficar agora é em casa. Sem circular nas ruas, sem se expor ao convívio com outras pessoas, porque isso pode transmitir o vírus. Precisamos evitar o colapso do sistema de saúde”, frisou o secretário de Estado da Saúde, Helton de Souza Zeferino.

“O governador tomou decisões de estado muito sábias, que irão salvar vidas”, ressaltou a deputada Paulinha.

 

Suspensões pelos próximos sete dias

A circulação do transporte coletivo urbano municipal, intermunicipal e interestadual de passageiros;

Atividades e serviços privados não essenciais, a exemplo de academias, shopping centers, restaurantes e comércio em geral;

Atividades e serviços públicos não essenciais, no âmbito municipal, estadual e federal;

A entrada de novos hóspedes no setor hoteleiro, mediante regulamentação por portaria específica;

Eventos e reuniões de qualquer natureza, de caráter público ou privado, incluídas excursões, cursos presenciais, missas e cultos religiosos ficam suspensos em todo o território catarinense por 30 dias;

As indústrias deverão operar em sua capacidade mínima necessária nas regiões em que já tenha sido identificado o contágio comunitário.

Também participaram da coletiva de imprensa o presidente do TJSC, Ricardo Roesler, o chefe do MPSC, o promotor Fernando da Silva Comin, o presidente do TCE, Adircélio de Moraes Ferreira Júnior, o secretário de Estado da Infraestrutura, Thiago Vieira, o chefe da Casa Civil, Douglas Borba e a líder de governo na Alesc, deputada Paulinha.

 

Recursos para situação emergencial

Durante a coletiva de imprensa na noite desta terça-feira (17), a Alesc e o Tribunal de Contas do Estado anunciaram que irão repassar R$ 20 milhões cada para auxiliar no combate ao coronavírus. O MP/SC também demonstrou intenção de destinar de R$ 6 milhões a R$ 8 milhões.

 

Decisão em conjunto com os poderes e entidades

O anúncio foi feito após reuniões com os representantes do Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público, Assembleia Legislativa de Santa Catarina, Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina, Associação Catarinense de Supermercados, Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados de SC, Fecomércio, Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), Federação das Cooperativas Agropecuárias de SC (Fecoagro) e os secretários do Executivo Estadual.

 

ViaCatarina

O Shopping ViaCatarina emitiu comunicado oficial anunciando a suspensão de suas atividades nos próximos sete dias, em atendimento ao decreto emergencial do governo do estado de SC. S supermercado Giassi permanece com atendimento em horário normal.

"Em atendimento ao decreto de Estado de Emergência do Governo de SC em todo o Estado de Santa Catarina no enfrentamento ao coronavirus, o Shopping ViaCatarina comunica que todas as suas atividades estão suspensas a partir deste dia 18 de março de 2020 pelo período de sete dias. O Via Catarina está acatando todas as orientações recebidas de órgãos públicos de todas esferas e também permanecerá atento diante de novas recomendações que por ventura vierem das autoridades, as quais serão imediatamente repassadas a todos os nossos públicos, de lojistas, colaboradores e consumidores em geral. Necessário mencionar que a suspensão das atividades envolve o Shopping ViaCatarina e sua área de vendas. A loja da rede Giassi permanece em funcionamento considerando que o segmento supermercadista é considerado atividade essencial da economia", traz o comunicado oficial do shopping.

 

Celesc fecha lojas

A partir desta terça (17), todas as lojas da Celesc estarão fechadas para atendimento presencial pelos próximos sete dias (até 24/03), atendendo decreto estadual de situação de emergência por causa da pandemia do Coronavírus. 

Para atendimentos e dúvidas, procure os canais virtuais da empresa em www.celesc.com.br e aplicativo Celesc, ou entre em contato via telefone: Serviços: 0800480120. Emergência: 0800480196.

 

Transporte coletivo

A Jotur está atendendo tudo que foi estipulado pelo decreto do governo do estado. A empresa paralisa seu serviço a partir desta quinta-feira (19). Nesta quarta (18), o funcionamento é normal.

 

Quer ficar informado sobre as últimas postagens no site e nas redes sociais do Palhocense?

Clique aqui e entre no nosso grupo de WhatsApp!

 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg