“Sou Legal, Tô Ligado” beneficia famílias em PH

Consumidores de baixa renda serão contemplados para a instalação de chuveiros, lâmpadas e refrigeradores mais econômicos

edcc859775e3e0b1892f35113f08bdbd.jpg Foto: DIVULGAÇÃO

Consumidores de baixa renda dos municípios de Palhoça, São José, Florianópolis e Biguaçu começam a receber, neste mês, a implementação das ações de eficiência energética pelo Projeto “Sou Legal, Tô Ligado”, integrante do Programa de Eficiência Energética da Celesc.

Ao todo, 1,45 mil  famílias serão contempladas com a instalação de chuveiros com trocadores de calor e substituição de 5,8 mil lâmpadas comuns por lâmpadas de LED. Serão selecionadas 330 famílias para a troca de refrigeradores ineficientes e com mais de cinco anos de uso, que serão substituídos por um novo, mais eficiente, com Selo Procel de economia de energia.  

Na Grande Florianópolis, a ação soma investimento de R$ 2,3 milhões. Em todo o Estado, serão aplicados R$ 17,8 milhões por meio do projeto, beneficiando 13,5 mil famílias em 40 municípios na área de concessão da Celesc. “No total, estamos disponibilizando 11 mil chuveiros com trocadores de calor, 2,5 mil refrigeradores Frost Free de 300 litros e mais 44 mil lâmpadas de LED, com a expectativa de gerarmos uma economia aproximada de 4 GWh no consumo de energia elétrica no ano, o equivalente ao consumo médio de 20 mil unidades residenciais durante um mês em Santa Catarina”, conta Bruno Clasen, gerente do projeto. 


Conscientização

Com o objetivo de orientar as famílias por meio do “Sou Legal, Tô Ligado”, a Celesc promove palestras sobre o uso racional e seguro de energia entre os municípios contemplados, que possuem mais de 200 unidades consumidoras. “O Programa de Eficiência Energética, como um todo, tem foco em sustentabilidade. Os diversos projetos possuem interesses em mostrar para os consumidores que sempre temos espaço para combater o desperdício e consumir menos”, disse Clasen. 

Ainda nesse viés, todos os equipamentos (chuveiros, lâmpadas, refrigeradores) são recolhidos das residências e descartados de forma ecologicamente correta. “Uma empresa especializada, apta e autorizada pelos órgãos governamentais, faz a coleta, o transporte, a descontaminação e a reciclagem dos materiais, dando um destino correto e sustentável”, explica o gerente.

Para participar, o consumidor da Celesc precisa se enquadrar como baixa renda e estar adimplente. A escolha é feita após uma avaliação de viabilidade técnica e econômica. A escolha do municípios foi definida pela equipe técnica da distribuidora, desde que não tenha sido contemplado em edições anteriores e mais um determinado tempo sem ser atendido. Sempre que possível, as escolhas dos locais a serem contemplados pelo projeto são feitas em parceria com o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e a prefeitura de cada município.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg