FMP: alunos serão voluntários em evento de windsur

Campeonato Sul-Americano e Brasileiro de Windsurf Slalom será disputado entre 31 de outubro e 3 de novembro, na Ponta do Papagaio

0b836a89a87cc8221ac7b737171a3188.jpg Foto: LUCIANO SMANIOTO

Alunos da quarta fase do curso de Gestão em Turismo da Faculdade Municipal de Palhoça (FMP) vão trabalhar como voluntários durante o Campeonato Sul-Americano e Brasileiro de Windsurf Slalom, que será disputado entre 31 de outubro e 3 de novembro, na Ponta do Papagaio. Bruno Wildner e Cristiano Dias, dois dos organizadores do evento, e o gerente de regata Alexandre Neves fizeram uma reunião com os universitários na manhã de terça-feira (8), nas dependências da FMP.
Os organizadores mostraram as funções que os estudantes devem desempenhar e mapearam a participação de cada um no evento, que vai contar com cerca de 50 pessoas trabalhando nos quatro dias de provas, entre voluntários e profissionais contratados. Foram organizadas equipes com funções específicas: há voluntários que irão trabalhar em barcos, e outros, em terra. Todos ganham uniforme e alimentação, e quem trabalhar durante os quatro dias de evento também vai receber hospedagem em pousada da região. “É um aprendizado único para os alunos. Nós, da FMP e do curso de Turismo, ficamos muito gratos com a possibilidade de oportunizar esse momento para os alunos. Poucos são os eventos dessa magnitude, então, acho que vale muito”, comenta a Ana Bárbara Mendonça Dias. “A disciplina é Planejamento e Organização de Eventos, e nada melhor do que viver a prática. Os alunos vão colocar em prática tudo o que a gente tenta passar para eles no conceito”, acrescenta a professora. “Para nós, alunos, será uma experiência de grande valia para o futuro, pois um campeonato sul-americano, onde temos atletas de outros países e culturas e onde podemos, além de conhecer pessoas diferentes, também ter o privilégio de participar de um concurso inédito aqui em nosso estado e cidade”, pondera a aluna Thalia Chiessi.
Para os organizadores, a participação dos voluntários é fundamental. “Participei da organização das três etapas da Volvo Ocean Race em Itajaí e a gente fez este relacionamento entre a Univali e o evento e foi muito legal mesmo, de surpreender. O voluntário está lá porque ele quer, ele é empenhado, ele quer buscar, é pró-ativo, isso é legal”, comenta Alexandre Neves, que tem 46 anos e veleja desde os quatro anos de idade - e desde os 15 anos está envolvido na organização de eventos nesta área. “O mais importante de participar de um evento como este, é o relacionamento que tu faz e as pessoas que tu conhece”, observa Neves. “Nas três edições da Volvo de que eu participei da organização, se não tivesse o trabalho dos voluntários, não daria certo”, destaca.
Como é a primeira vez que vai comandar uma regata na Ponta do Papagaio, Neves diz que pretende visitar o local antecipadamente, para observar o comportamento do mar e, principalmente, do vento, o elemento mais importante em uma competição de windsurf. “Vou um dia lá, levar uma cadeirinha e ficar lá umas duas, três horas, para ver como é”, projeta.
Os organizadores estão contentes com o andamento dos preparativos do evento, que terá transmissão ao vivo pelo canal a cabo Whohoo. “Está tudo acontecendo, está bacana. A comunidade local se envolveu bastante”, comemora Bruno. “As coisas têm se encaixado bem”, diz Cristiano.
A expectativa da organização é a de trazer aproximadamente cem atletas para a competição, que deverá proporcionar uma experiência única de interação entre o público presente e os velejadores. A ideia é a de manter a prova no calendário esportivo anual e transformar Palhoça em uma referência nesse esporte.
O evento conta com a chancela da Federação Internacional de Windsurf (IFCA - International Funboard Class Association), da Confederação Brasileira de Vela (CB Vela), da Associação Brasileira de Windsurf (ABW) e da Federação Náutica Catarinense (FNC).

 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • Banner-310x260.gif