GMF indica irregularidade em ônibus da Jotur

No primeiro dia do retorno do transporte coletivo em Florianópolis, distribuição de passageiros em ônibus foi questionada

5cb5cd69bc07c01ec8883c557ad599ca.png Foto: REPRODUÇÃO/VÍDEO

Na manhã desta segunda-feira (22), foi liberado o trânsito de veículos do transporte coletivo intermunicipal em Florianópolis. Desde cedo, a Guarda Municipal de Florianópolis (GMF) realizou uma ação de fiscalização nos ônibus, e em um veículo da Jotur, que fazia a linha Aririú-Florianópolis, os agentes encontraram irregularidade.

Depois de três meses sem circular devido às medidas de controle da pandemia do novo coronavírus, o transporte intermunicipal voltou a funcionar em Florianópolis após análise, revisão e aprovação do protocolo sanitário das empresas Jotur, Biguaçu, Estrela, Santa Terezinha e Imperatriz, pela Secretaria Municipal de Saúde. Essa autorização está regulamentada pela portaria conjunta 03/SMS-SMPU/2020, publicada na última quinta-feira (19).

O transporte intermunicipal funcionará somente de segunda a sexta-feira. As empresas deverão seguir basicamente as mesmas regras instituídas para o transporte intermunicipal quanto à higienização, check in opcional na plataforma de rastreabilidade do coronavírus no transporte coletivo, obrigatoriedade da máscara, pagamento somente com cartão pré-pago e lotação máxima de 40% da capacidade de cada tipo de veículo. 

Na ação de fiscalização desta segunda-feira (22), os agentes da GMF observavam a lotação máxima permitida e o cumprimento de outras regras de prevenção à pandemia pelos ônibus que entravam na cidade. Dois ônibus intermunicipais foram flagrados descumprindo a regra de distribuição dos passageiros nos veículos. Um desses ônibus era da Jotur e vinha de Palhoça.

A Jotur divulgou nota em que lamenta o entrave ocorrido em um dos seus veículos no primeiro dia do retorno dos ônibus intermunicipais. "Hoje pela manhã, às 6h20, o ônibus articulado que faz a linha Aririú–Florianópolis foi parado pela Guarda Municipal da Capital na cabeceira da ponte Pedro Ivo Campos, por conta da organização interna dos passageiros. No ambiente, as 55 pessoas, número que corresponde ao permitido - 40% da lotação -, cumpriam o decreto estadual que exige que todos no veículo estejam sentados. No entanto, para o decreto municipal de Florianópolis, o exigido é que apenas os assentos das janelas estejam ocupados, e que os demais usuários fiquem em pé, a fim de assegurar distanciamento. Assim que readequada a distribuição dos passageiros, o ônibus pôde seguir normalmente seu trajeto".

A Prefeitura de Florianópolis alerta que os ônibus que forem encontrados nessas condições ou em desacordo com qualquer outra regra serão obrigados a retornar para a cidade de origem, inclusive com os passageiros.

 

Quer participar do grupo do Palhocense no WhatsApp?
Clique no link de acesso!
 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg