03066bf794a14ea915fce1a765736d82.jpeg Antigo Paço Municipal está sendo reformado para receber a Casa da Cultura

de9e6360e2a7d056ac81e4c570bac2b4.jpeg Empresários recebem palestra sobre colaborador na modalidade PJ

b9ed51804a38497e3d713e4b85a0b9ff.jpeg Outubro Rosa: voluntários organizam pedal de conscientização

6ce5fa3101a7024c779d8506147a16f1.jpeg Irmãs palhocenses produzem e doam “naninhas” para crianças das escolas públicas

4591eb7458e13b72850d0266561322bb.jpeg Jovens atletas representam Palhoça em competições estaduais

b1389c69ecc88f51f017f24a6510b6da.jpeg Judoca criado dentro do programa Palhoça Esportiva é campeão estudantil

678354f0c4a3c4a0a66e5acc0f97f463.PNG PBec Brasil vence primeira partida oficial como clube profissional

5e23d8c4a62a022f340e9d6aa9d81f61.jpeg PBec Brasil completa 11 anos de história no futebol palhocense

e228afe0fbb6efb4982272fb3b076d56.jpeg Tocha se destaca em reestreia do Campeonato Paranaense de BMX


Evento da Apae emociona palhocenses

Ação aconteceu na Praça Sete de Setembro, em comemoração à Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla

07775f7698d1f073da6c2dd769faee89.JPG Foto: NORBERTO MACHADO

Texto: Isonyane Iris

“Vem para a praça que a Apae te abraça”. Esse foi o tema da ação realizada pela Apae de Palhoça nesta terça-feira (28), na Praça Sete de Setembro, no Centro, em comemoração à Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla. Com muita música, teatro e serviços prestados à comunidade, a ação atraiu não só os alunos e seus familiares, como muitos visitantes.

“Lindo e surpreendente. Nunca imaginei que o trabalho da Apae era tão bonito. A gente que não conhece imagina que é um lugar silencioso, fechado, tipo hospital, aí quando se depara com uma alegria dessa contagiante, chega a emocionar”, relata a moradora do Pachecos Carmem Flores, ao caminhar pela Praça Sete de Setembro na tarde terça-feira (28).

A Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla é comemorada no Brasil entre os dias 21 e 28 de agosto. Para celebrar a data, a Apae de Palhoça resolveu trazer sua comemoração para a praça central e assim mostrar um pouco do trabalho realizado diariamente. “Uma oportunidade dos nossos alunos fazerem uma interação com a comunidade de Palhoça e também mostrar o que oferecemos diariamente a eles. O movimento está muito bom e as famílias também estão bem participativas”, destaca João Leonel Machado Farias, coordenador pedagógico da Apae de Palhoça, ressaltando que a Apae atende sem restrição de idade. “Nós preferimos trazer a Apae de Palhoça para a praça porque não adianta fazer um evento dentro da Apae. Inclusão social é isso, fazer o público participar, a família estar presente e envolver a sociedade nesse amplo campo que é a Apae. Eu só posso agradecer a todos os envolvidos”, agradece Elisete Neuhaus, presidente da Apae de Palhoça.

Animada com o evento, Marilete da Silva, de 48 anos, em poucas palavras deixa bem claro o quanto gosta de estar na Apae: “Eu adoro ir na Apae. Gosto muito de tudo, dos lanches, das atividades e dos passeios que são muito legais”.

Os alunos apresentaram músicas, teatros, danças e ainda puderam se divertir muito com suas famílias, que também estavam no evento. “Eu sou muito grata ao trabalho que a Apae faz. Minha filha está com eles há mais de 30 anos e desde então ela sempre foi muito bem cuidada. Fazem atividades bem legais, muitos passeios e em todos eu vou com ela. Hoje ela acordou cedo, arrumou o quarto e ficou ansiosa esperando a hora de vir. Só posso agradecer por tudo, a Apae de Palhoça é a segunda família que temos”, agradece a mãe da Marilete, Rosalina Josefa da Silva.

“Além de a minha irmã ficar empolgada, ela fica muito feliz em participar dessas atividades diferentes. A Apae é muito bem organizada, oferece um trabalho muito importante e tem muito cuidado com os alunos. Se percebem que minha irmã não está bem eles ligam, conversam com a minha mãe, tudo com muito carinho”, elogia Andreza Arauldi.
Veronica Josefa Espindola, ao ver a sobrinha participando das atividades, não conseguia segurar as lágrimas. “Ela não vive sem a Apae. Ela passa o dia inteirinho falando de tudo que faz lá, dá para perceber o quanto é bom tudo que eles oferecem. Hoje só de estar aqui e ver essa alegria de todos eles emociona, eu não consigo parar de chorar”, descreve a tia, emocionada.

 



Galeria de fotos: 3 fotos
Créditos: NORBERTO MACHADO NORBERTO MACHADO NORBERTO MACHADO
Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • ea73bab336bac715f3185463fd7ccc14.jpg